Pardo recebe 100 mil peixes no Dia da Água

Estudantes acompanham a soltura dos peixes no rio Pardo, na quarta-feira, 22

Cinco escolas de Santa Cruz do Rio Pardo e região participaram, na tarde de quarta-feira, 22, quando se comemorou o Dia Mundial da Água, de atividades relacionadas ao tema na sede da Associação Sabesp. O ponto alto foi a soltura de 100 mil peixes no rio Pardo, doados pela GPG Brasil, antiga Duke Energy. Centenas de estudantes acompanharam os peixes deixando os reservatórios para chegar ao rio.
Antes, houve palestras sobre Meio Ambiente e manejo da água para os estudantes. De Santa Cruz do Rio Pardo participou do evento a escola “Arnaldo Morais Ribeiro”, além de escolas de Espírito Santo do Turvo, Paulistânia e Ribeirão do Sul. “É um evento que concentra estudantes da bacia hidrográfica do Paranapanema”, contou o ecologista Luiz Carlos Cavalchuki, que também é membro da ONG “Rio Pardo Vivo”. A entidade promoveu o evento em parceria com a Sabesp. Atiradores do Tiro de Guerra também colaboraram com as atividades.
Ao contrário de anos anteriores, quando foram soltos alevino no Pardo, desta vez alguns peixes grandes contagiaram as crianças. Segundo Cavalchuki, foram disponibilizadas várias espécies — pacu-guaçu, ferreirinha, piau, dourado e lambaris. Segundo o técnico da Sabesp, a média de cientistas é que 60% deles sobrevivam após a soltura.
Este tipo de atividade também tem o objetivo de conscientizar as crianças sobre a necessidade de preservação do rio Pardo, um dos únicos não poluídos do interior de São Paulo. O Pardo, por sinal, está sendo ameaçado por projetos para construção de quatro hidrelétricas na região de Águas de Santa Bárbara e Santa Cruz.

Veja mais fotos:

 

web dia da água 5 1877

web dia da água 4 1877

web dia da água 3 1877

 

 

Sobre Sergio Fleury 767 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate