CDHU: casas estão sendo depredadas

Vidros estão quebrados em 50 unidades; ataque também inclui sujeira

Novo bairro ainda nem foi ocupado

As unidades atingidas por vandalismo ficam nos fundos da área
As unidades atingidas por vandalismo ficam nos fundos da área

Parte das 100 unidades do conjunto habitacional que está sendo construído nos altos da Estação pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano (CDHU), empresa do governo do Estado, está sendo depredada por atos de vandalismo. As residências ainda não foram concluídas e a estimativa é que somente no início do ano o novo bairro seja inaugurado. No momento, além do acabamento nas residências, empreiteiras estão finalizando as obras de implantação da rede de esgoto e posteamento de energia elétrica. A pavimentação deve começar nas próximas semanas.
Das 100 novas unidades, 80 serão distribuídas a mutuários previamente escolhidos, uma vez que as outras 20 estão reservadas para famílias que estão residindo em áreas de risco, como moradias à beira do rio Pardo. Cerca de 2.600 pessoas demonstraram interesse na aquisição de uma casa da CDHU, pois se inscreveram no agendamento realizado no mês passado. Pelo menos 1.876 constam na relação final publicada no site da empresa como aptos a disputarem as moradias. A escolha definitiva será feita por sorteio público.
A obra está a cargo da Codesan, empresa de economia mista pertencente ao município. No entanto, a falta de vigias noturnos tem provocado danos nas moradias, principalmente aquelas localizadas no outro lado da avenida Santos Dumont, longe da visão de populares.
Mais de 50 unidades estão com vidros quebrados e sujeira nas paredes. Há indícios de que vândalos estão jogando pedras e barro nas construções.
O prefeito Otacílio Parras Assis (PSB) esperava inaugurar o novo bairro antes do Natal, mas é quase certo que a solenidade será adiada.

Sobre Sergio Fleury 1456 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate