‘Natal das Luzes’ em Ipaussu vai começar neste sábado

Funcionários e voluntários usaram 300 mil garrafas para a construção de centenas de enfeites

Em Ipaussu, quasae 300 mil garrafas foram usadas em
dezenas de enfeites que estarão prontos neste sábado

TESTES — Rena é testada já com iluminação LED antes de chegar à praça

Sérgio Fleury Moraes
Da Reportagem Local

Cidade com maior tradição nos enfeites natalinos construídos com garrafas pets, Ipaussu vai abrir seu “Natal das Luzes” neste sábado, dia 8. Cerca de 70 pessoas estão trabalhando na confecção das peças e instalação em vários pontos da cidade, principalmente na praça Raphael de Souza, no centro da cidade, e no Lago Municipal, que será decorado em seu entorno e na pequena ilha. Como em anos anteriores, haverá novidades. O Papai Noel desembarca no dia 15.
O projeto existe há seis anos e foi o que mais cresceu em toda a região, principalmente depois que ganhou a coordenação da presidente do Fundo Social de Solidariedade, a primeira-dama Ana Paula Cândido. Ela é, inclusive, uma das voluntárias na confecção dos enfeites.
As peças são confeccionadas num barracão cedido pela Fundação Sylvestre Ferraz Egreja, onde, num ritmo frenético, dezenas de pessoas — entre costureiras, soldadores e montadoras — dão forma às garrafas e “desenham” peças tradicionais do Natal. Renas, bonecos e doces surgem de forma impressionante do que antes era material reciclável.

COR — Voluntárias preparam as últimas peças antes das montagens

 

SOLDA — Soldadores fabricam até letras que formarão várias palavras

O trabalho começa no período da manhã e é iniciado somente após uma oração em grupo. À noite, já que todas as pessoas “esticam” o serviço para não atrasar o evento natalino, até uma janta é servida no local.
Uma das coordenadoras do projeto, Elisângela Laureano, foi contratada pelo município para auxiliar os trabalhos. “Estamos nos finalmentes, que é a parte mais difícil. É o acabamento das peças, onde surgem as formas finais e é preciso maior atenção”, disse.
Segundo ela, quase 300 mil garrafas foram utilizadas para a decoração da cidade. É que o projeto aumentou e haverá também enfeites na avenida da Saudade e rua Washington Luiz, a principal artéria comercial de Ipaussu.
A “Vila dos Sonhos”, local em que haverá exposição de trabalhos dos artesãos da cidade, mudou de lugar e ficará num dos cantos do entorno do lago. O local já ganhou vários boxes e será totalmente iluminado. “Ficou bem melhor e será uma novidade para a população”, disse Elisângela.

Mulher dá forma costurando peças dos enfeites

No centro de Ipaussu, a Raphael de Souza vai virar “Praça Encantada”. No lago, outra novidade será a “Ilha do Doce”, totalmente enfeitada e com atrações que as coordenadoras ainda não querem adiantar. “É tudo surpresa”, desconversou.
Dos mais de 70 participantes, muitos são voluntários que, nesta época do ano, se juntam aos servidores públicos, integrantes da Frente de Trabalho, estagiários, Renda Cidadã e Ação Jovem. “Muita gente se apresenta para ser voluntário. É um trabalho que realmente comove”, conta Elisângela.
Nos fundos do barracão, há soldadores que montam as estruturas que receberão as garrafas. Neste ano, eles também criaram palavras que serão colocadas em pontos estratégicos. A letra “H” estava sendo finalizada, o que despertou a curiosidade da reportagem. “É para o hou-hou-hou”, contou um dos trabalhadores.

“DIVERSÃO” — Servidores e voluntários ficam até à noite no barracão, mas se dizem satisfeitos

Importância

A dedicação não é a única virtude das pessoas envolvidas no projeto “Natal das Luzes”. Fernanda Cristina Aragão de Pupo, por exemplo, foi contratada pela primeira vez para trabalhar nas peças. Há quatro meses no barracão, ela disse que já aprendeu “quase tudo”, inclusive depois que o município ministrou um curso. Fernanda, na verdade, diz que se livrou de uma depressão após se envolver no projeto.
Ao lado dela, Sandra Morais estava concentrada em colocar “piscas-piscas” em algumas peças. “É meu segundo ano e estou adorando. A gratificação chega no sorriso de uma criança ao ver o resultado do nosso trabalho”, disse.
Gisele Fagundes de Carvalho, funcionária de uma creche, foi convocada pelo terceiro ano seguido para participar do projeto. “Em aprendo mais a cada dia. Já sou veterana em montar renas”, brinca. “Na verdade, a gente esquece até a família para ficar aqui no barracão, mas vale a pena depois que tudo fica pronto”, disse.
O fiscal Diego Lemos Ferraço participa do “Natal das Luzes” pela terceira vez. “Eu pulei o ano passado, mas a gente nunca perde a prática. Aqui, não vemos a hora passar”, contou. “Não há o que pague este trabalho maravilhoso”, afirmou.
A partir do próximo sábado, 8, milhares de pessoas deverão lotar a praça central e o entorno do lago de Ipaussu. No entanto, grande parte serão visitantes de outras cidades, que vão movimentar o comércio de alimentos e bebidas.

Trabalho no barracão da Fundação Ferraz Egreja foi dividido em setores, desde costura à solda

 

Sobre Sergio Fleury 4569 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate