Caso de dengue deflagra mutirão para fiscalização até em rodovias

LIMPEZA — A concessionária Cart também vai promover um mutirão para a limpeza das rodovias da região

Primeiro caso da doença neste ano em
Santa Cruz foi confirmado pelo governo

André H. Fleury Moraes
Da Reportagem Local

A secretaria de Saúde confirmou, na semana passada, o primeiro caso de dengue em Santa Cruz do Rio Pardo neste ano. Apesar de a vítima ter contraído a doença em Bauru — onde já há risco de epidemia do vírus tipo 2, que pode ser muito grave para quem já contraiu a dengue comum —, o caso preocupa Santa Cruz. Afinal, desde o início do ano, há 12 exames que investigam a ocorrência de novos pacientes. Do total, cinco deram negativo, cinco aguardam resultado e um foi confirmado. Um último foi descartado. Além da prefeitura, o governo do Estado e a Cart (Concessionária Auto Raposo Tavares) anunciaram medidas para evitar a proliferação do mosquito transmissor da doença, o Aedes Egipty.
Segundo a prefeitura, em Santa Cruz haverá intensificação da fiscalização de terrenos e calçadas nas próximas semanas. A medida deverá ser realizada através de notificações para limpeza dos locais em até dez dias. O descumprimento da notificação poderá causar multa aos moradores. Se mesmo após o prazo o proprietário não fizer a manutenção, seu nome será ser incluso no cadastro da dívida ativa municipal e cobrado judicialmente.
O governador João Doria (PSDB) também anunciou uma campanha para alertar sobre os riscos do mosquito transmissor e incentivar a participação popular nas ações de combate. O “Plano Estadual de Combate à Dengue” focará nas áreas de risco do Estado. Um dos locais, aliás, é Bauru, com milhares de casos confirmados somente em 2019. Também serão distribuídos panfletos em algumas praças de pedágio.
A Cart (Concessionária Auto Raposo Tavares) também incluiu o combate à dengue em seu projeto. Segundo nota da empresa, desde quarta-feira, 13, equipes intensificaram o recolhimento de lixos nas rodovias, sobretudo nos pontos onde há foco de proliferação do Aedes. Há, aliás, uma finalidade sustentável na iniciativa. O material recolhido é, em sua maioria, destinado à reciclagem — mais da metade é composta por plástico, latas de refrigerante, papel ou vidro.

Prevenção

Cerca de 80% dos criadouros de dengue estão localizados dentro das residências, segundo dados da secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. Para prevenir-se dos riscos, há algumas orientações, entre elas a vedação de caixas d’água, galões, poços e tambores; a remoção de resíduos que impedem a passagem de água em calhas (como folhas); o mantimento de potes com água para animais sempre limpos; garrafas, baldes, pneus e outros potes cobertos; eliminação da água acumulada em vasos ou pequenos pratos onde há plantas.

Sobre Sergio Fleury 4589 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate