Codesan continua no projeto das entidades, diz prefeito

IMPASSE — Presença da autarquia Codesan na relação de entidades causa surpresa e desconfiança à oposição

Autarquia está na mesma relação de entidades
sociais que podem receber repasses a mais em 2020

Sérgio Fleury Moraes
Da Reportagem Local

Apesar de estranha, a autarquia Codesan será mantida na lista de entidades sociais que receberão subsídios maiores no próximo ano. A informação é do prefeito Otacílio Parras (PSB), que alega ser apenas uma “questão técnica” a Codesan figurar ao lado de Apae, Centro Social São José, Adefis, Creche Fermino Magnani, Lar São Vicente de Paula e outras. A justificativa ainda não convenceu os vereadores, mas o projeto já foi protocolado na Câmara e deve ser discutido nas próximas semanas.
O assunto é, na verdade, mais um capítulo da fracassada tentativa de se criar em Santa Cruz as “emendas impositivas”, nos moldes das existentes para os deputados. Na prática, cada vereador poderia indicar até R$ 100 mil por ano para ser destinado a entidades ou obras no município. O projeto, porém, foi rejeitado pela Câmara no início do mês.
A bancada governista alegou, na justificativa para derrubar o projeto de Luciano Severo (PRB), que uma alternativa seria o aumento da verba para as entidades sociais no próximo ano, através de um projeto próprio. Assim, o vereador Edvaldo Godoy (DEM), que trocou a oposição pelo governo para ser candidato nas eleições de 2020, apresentou na semana passada um substitutivo contábil para acrescentar mais R$ 600 mil às entidades sociais. Na lista, entretanto, figura a Codesan.
O próprio Edvaldo, nos microfones da rádio Difusora, não conseguiu explicar a presença da autarquia na relação das entidades sociais, mesmo sendo ele o autor do projeto. “Certamente prestando algum tipo de serviço, é óbvio que a Codesan também vai receber [recursos]. Mas não sei detalhes de como seria esta prestação de serviço pela Codesan, pois foi mandada junto com outras entidades”, afirmou.
Na última segunda-feira, 24, o prefeito Otacílio Parras se apressou em tentar explicar o fato que constrangeu Edvaldo e revoltou entidades sociais de Santa Cruz do Rio Pardo. “A Codesan não consta como filantrópica e nem vai receber subvenção social”, garantiu. “O projeto é claro no sentido de aumentar em R$ 600 mil a subvenção social para as entidades. A Codesan vai receber subvenção econômica, o que é diferente”, afirmou.
Segundo o prefeito, a lista que consta no projeto refere-se a todas as entidades que poderão receber subvenções em 2020, inclusive a Codesan, mas a diferença é que as entidades sociais não têm diretoria remunerada. “A Codesan realmente consta na lei e vai continuar”, insistiu Otacílio.
Ainda não há data para a discussão do projeto. O texto não está na pauta da sessão da Câmara desta segunda-feira, 1º de julho. Existe a possibilidade dos vereadores apresentarem emendas. A oposição, por exemplo, ainda não se convenceu de que a presença da Codesan na relação de entidades é mera formalidade e pode propor uma mudança.

  • Publicado na edição impressa de 30/06/2019
Sobre Sergio Fleury 5522 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate