Polícia prende homem que prendeu e torturou mulher

“Chácara do Gordinho” já era conhecida por policiais como ponto de crimes

Em cárcere privado, uma mulher foi
espancada e torturada com fios elétricos

André H. Fleury Moraes
Da Reportagem Local

“Pare de me dar choque”. A frase foi repetida diversas vezes por uma mulher — cujo nome não foi divulgado — mantida em cárcere privado, torturada e espancada pelo próprio marido, Júlio Cesar Francisco Pinto, 32, na quarta-feira, 7, em Santa Cruz do Rio Pardo.
Os dizeres da vítima foram reproduzidos pela delegada Isabel de Oliveira Bertoldo em entrevista à rádio 104 FM em entrevista na semana passada.
Tudo aconteceu dentro de um barraco localizado na Vila 80 e o fato ocorreu, justamente, no dia em que se celebraram os 13 anos da Lei Maria da Penha.
Segundo a delegada, a denúncia inicial veio de uma moradora que relatou à polícia gritos de uma mulher pedindo socorro num local próximo à casa onde mora.
A PM foi ao local, cujo entorno é conhecido como “Chácara do Gordo”, e se deparou com a vítima enforcada com fios, energizados, e sendo arrastada por Júlio.
Os policiais intervieram e imobilizaram o autor dos crimes, que chegou a resistir aos PMs antes de receber voz de prisão em flagrante.

Material e fios usados para torturar a mulher
Júlio César chegou a negar crimes

A mulher foi levada à UPA (Unidade de Pronto Atendimento), onde passou por exames que constataram diversas lesões, algumas das quais causadas por choques.
Ela afirmou, ainda, que estava em cárcere privado havia vários dias.
Júlio César foi encaminhado à Central de Polícia Judiciária. Em revista pessoal, os agentes encontraram uma porção de maconha com ele.
Aliás, o local onde o crime ocorreu — a ‘Chácara do Gordinho’ — já era alvo de investigações dos policiais.
Foi ordenada, então, busca e apreensão no local. Num dos cômodos, foram encontradas mais drogas escondidas em um colchão. Assim, Júlio foi autuado, também, por tráfico de drogas.
Em depoimento, o autor do crime negou todos os crimes — admitiu, apenas, a pequena porção de maconha encontrada com ele. Alegou que era para consumo próprio.
Ele já possuía diversas passagens pela polícia. Segundo a delegada, Júlio é reincidente nos crimes de violência doméstica e tráfico de drogas.
Agora, o autor será processado por tentativa de homicídio, feminicídio e tráfico de drogas.
A vítima passou por acompanhamento médico e chegou a ser internada, mas foi liberada ainda na semana passada.

  • Publicado na edição impressa de 11/08/2019
Sobre Sergio Fleury 4750 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate