Seguindo os passos do pai

CAMINHOS — João (centro), ao lado da mulher Nílvia, com os filhos Nathália, Rafael e Camila: todos advogados

Todos os filhos do advogado João Nantes
seguiram o mesmo caminho do Direito

O advogado João Aparecido Pereira Nantes, 68, tem uma dupla comemoração neste domingo. Além do “Dia do Advogado”, ele também reúne a família para festejar o “Dia dos Pais”. João é pai de três filhos — Camila, 36, Nathália, 38, e João Rafael, 34 —, que seguiram seus passos e se formaram em Direito. “Nunca influenciei, mas acho que eles tanto acompanharam meu trabalho que resolveram seguir”, avalia Nantes.
De quebra, desde 2014 a própria mulher do advogado, a dentista Nilvia Brandini Nantes, 63, também cedeu aos encantos do Direito e se formou. Hoje, é especialista em causas previdenciárias, mas não abandonou a odontologia.
De fato, pesquisas comprovam que os pais estão entre os maiores influenciadores de um jovem na hora de escolher uma profissão. E isto acontece mesmo sem a ação direta dos pais. Claro que os filhos se espelham em exemplos positivos para olhar as referências mais próximas.
No caso de João Nantes, mesmo o advogado tendo se esforçado para dar plena liberdade de escolha aos filhos, eles conviveram com o sucesso dele durante anos e seguiram seus passos. João Rafael, por exemplo, além de advogado especializado em Direito Empresarial. É corretor de imóveis credenciado pelo Creci — como o pai, que é, inclusive, delegado do conselho.

O advogado João Nantes

João garante que não foi um pai muito rígido e que procurou conversar muito com os filhos. “Eu sempre dei muito conselho a eles, inclusive mostrando casos veiculados na mídia que podem acontecer a qualquer família. Mas nunca fui de puxar a orelha deles”, lembrou.
No entanto, ele admite que esteve ausente em vários momentos por conta do trabalho. “Chegava em casa durante a madrugada e saía cedo. Às vezes nem dava para ver meus filhos”, contou. A carga horária de trabalho de Nantes sempre foi atribulada, a ponto de ele sofrer um grave infarto há alguns anos. Afinal, além de advogado, João é membro da diretoria de clubes e instituições da cidade, entre outras atividades.
Até mesmo nas férias era m um problema. “Uma vez, nós estávamos saindo quando, no caminho, um cliente apareceu. Minha mulher e os filhos esperaram duas horas no carro”, lembrou. As férias, por sinal, eram curtas. Até hoje, admite, a situação não mudou muito.
Quando estava presente, entretanto, João Nantes disse que procurou dar a melhor educação aos filhos. Aliás, procurava acompanhá-los até nos dias de baladas. “Como era presidente de clube, eu observava o que eles faziam. Claro que não gostavam”, diz, rindo.
Nantes acredita que os filhos seguiram sua carreira porque, mesmo aos finais de semana, as visitas eram pessoas ou parentes ligados ao Direito. O advogado, aliás, tem parentes juízes, desembargadores ou sócios de grandes escritórios. “Nossa conversa era sobre processos. Afinal, o Direito sofre muita transformação ao longo dos anos e é preciso uma atualização constante”, explicou.
Os filhos brincavam ouvindo as conversas e acompanhavam o trabalho frenético do pai. Não deu outra.

  • Publicado na edição impressa de 11/08/2019
Sobre Sergio Fleury 4458 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate