Aluna da escola ‘Arnaldo Moraes Ribeiro’ é destaque em olimpíadas

Aluna da "Arnaldo Moraes Ribeiro", Ana Clara, 14, mostra medalhas conquistadas

Estudante Ana Basseto deverá participar da fase
latino-americana da Olimpíada de Astronomia

CONQUISTA — Ana Clara, aluna da escola “Arnaldo Moraes Ribeiro”, banhou medalhas e certificados das olimpíadas

André H. Fleury Moraes
Da Reportagem Local

A jovem Ana Clara Basseto Franciscon, de apenas 14 anos, é mais um destaque santa-cruzense na educação. Ela está oficialmente convocada para a fase latino-americana da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, a OBA. Se for classificada, Ana Clara poderá concorrer à fase internacional da prova, cuja data ainda não foi divulgada.
Ana é aluna da escola municipal ‘Arnaldo Moraes Ribeiro’ e está no 9º ano do Ensino Fundamental. Ela obteve nota 9.5 na prova, superior à do ano passado, que foi 9.2. Na verdade, não é a primeira vez que a aluna se destaca. Com os 9.2 de 2018, ela garantiu medalha de ouro no desafio educacional.
A fase latino-americana da OBA deve ocorrer no dia 8 de setembro. “Estou ansiosa”, admite Ana Clara, que é fascinada por astronomia desde a infância. “Por isso optei por participar da OBA. Mesmo quando não entendia o que aquilo significava, já sabia que era algo que me atraía”, afirmou.
Não é à toa que ela acompanha, praticamente todos os dias, notícias e acontecimentos envolvendo o assunto. De quebra, sobra tempo para observar o céu. “Um de meus hobbies é procurar pelo cruzeiro do sul, por exemplo”, conta.
Embora goste das duas áreas, Ana Clara já delineou seu caminho: prefere a astronáutica — a ciência que trata da construção e operação de naves projetadas para ir ao espaço. “É que envolve mais operações com números, sinto maior afinidade”, explicou. Assim, não foi por acaso que Ana Clara também participou da Olimpíada de Foguetes, que envolve muita Física, obtendo bons resultados.
Professora de Ana Clara, Luiza Regina Martelozzo conta que a aluna sempre teve um ótimo desempenho. “Ela é muito aplicada. Sempre está à frente de vários projetos”, relata Regina.
Luiza leciona na “Arnaldo” há 10 anos e diz que a escola sempre incentivou o aluno a participar de olimpíadas. “Tivemos mais de 200 participantes neste ano. E a média geral foi muito boa”, conta Luiza.
A escola também vai realizar uma cerimônia para entregar medalhas, prêmios e brindes àqueles que obtiveram bons resultados. Dela, participam secretários e professores. E, é claro, Ana Clara deverá ser o centro das atrações.

Ana, ao lado da professora Luiza Martelozzo, diz que gosta muito de ler

Dia a dia

Ana, aliás, tem um incentivo extra na sua própria casa. Afinal, ela é filha da professora Alessandra Canassa Basseto, que leciona em Ourinhos. “Se eu não entendo alguma coisa, minha mãe traça caminhos para iniciar um exercício”, lembrou a estudante.
Ana gosta de assistir a vídeos de planetas e se atualizar nas novas descobertas do espaço sideral. Claro que ela praticamente “tem certeza” da existência de vida fora da Terra e de que o planeta, afinal, é redondo.
Entretanto, apesar de amar os astros, ela planeja cursar algo na área de Saúde. E admite ter dificuldades com as humanas. “Mas estudo, pois tenho de aprender”, conta. Por isso, aliás, Ana é uma leitora voraz de livros, revistas e jornais.

Resultados

Além da Olimpíada Brasileira de Astronomia, Ana Clara também está classificada para a segunda fase da Olimpíada Brasileira de Matemática, que ocorrerá em 28 de setembro.
E mais: em junho, Ana ganhou uma medalha da Special Dog após seu grupo ser o segundo colocado no concurso “Objetivo de Desenvolvimento Sustentável”, um projeto da própria empresa do qual participaram cinco escolas de Santa Cruz do Rio Pardo.
O concurso consistiu em montar uma maquete sobre o tema. Com um a menos, o grupo de Ana Clara construiu um modelo de escola de dois turnos, sendo o da tarde destinado a atividades sustentáveis. A equipe foi vice-campeã.

  • Publicado na edição impressa de 1º/09/2019
Sobre Sergio Fleury 4589 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate