Prefeito ainda quer o ‘impeachment’ de Pinhata

‘FORA PINHATA’ — Pela primeira vez no mandato, Otacílio passou a defender a destituição de um vereador

Otacílio Parras defende afastamento do presidente da
Câmara e articula com vereadores que apoiam o governo

Sérgio Fleury Moraes
Da Reportagem Local

Numa verdadeira “guerra” contra o presidente da Câmara, vereador Paulo Pinhata (MDB), o prefeito Otacílio Parras (PSB) sinalizou que o baixo nível vai imperar na política até as próximas eleições. Na semana passada, ele defendeu o “impeachment” do presidente e repetiu ofensas proferidas pelo vereador Marco “Cantor” Valantieri (PL), sugerindo que Paulo Pinhata estaria alcoolizado quando concedeu uma entrevista à rádio Difusora no sábado, 31. Na ocasião, o presidente fez duras críticas às atitudes do prefeito e aos radialistas da emissora governista.
No centro da discussão, está a proposta de Pinhata de fazer uma reestruturação no Legislativo para reduzir salários de funcionários comissionados, projeto que não tem o apoio do grupo governista.
Depois de ser criticado por vereadores da base governista, principalmente pela tentativa de contratar um novo assessor — um ex-vereador de São Pedro do Turvo —, Paulo Pinhata pediu “direito de resposta” e foi à rádio Difusora no sábado, 31, quando foi entrevistado, entre outros, pelo assessor de Relações Institucionais do prefeito, o radialista Roger Garcia.
O vereador se irritou quando foi questionado sobre o clima entre funcionários da Câmara, depois de sucessivas ameaças de demissões, sugerindo que os comissionados estariam vivendo um clima de incertezas. “Quem vive clima ruim é o catador de latinhas na rua”, disparou. Pinhata, então, revelou que o prefeito Otacílio Parras, durante todo o primeiro mandato, defendeu a demissão de vários funcionários da Câmara, em discussões realizadas durante reuniões com parlamentares.
Na segunda-feira, 2, foi a vez do ex-presidente Marco “Cantor” usar os microfones da emissora para a qual trabalha. Ele atacou Paulo Pinhata e chegou a ofendê-lo, ao sugerir que, no sábado, o colega estaria alterado. “Ele fala uma coisa de manhã e, outra, à tarde. Está totalmente perdido” disse Cantor, para depois completar: “Naquele sábado, eu ouvi dizer pela cidade que o Pinhata estava num bar antes de dar a entrevista na rádio. Será que ele não tomou alguma coisa? Afinal, estava fora de si”, afirmou.
No dia seguinte, o prefeito Otacílio Parras usou o mesmo discurso, dizendo que o presidente da Câmara estaria “alterado” quando se irritou durante a entrevista de sábado. Otacílio negou que em algum momento tivesse defendido a demissão de comissionados com altos salários na Câmara, dizendo que uma reunião com a base aliada em sua residência discutiu somente o candidato a presidente que seria apoiado pela base aliada.

‘MENTIRA’ — Cristiano Neves disse que Otacílio ‘faltou com a verdade’

O prefeito citou o vereador Cristiano Neves, hoje na oposição, como integrante de um pequeno grupo que defendia a redução de salários na Câmara. “Era o Cristiano quem dizia que era necessário cortar o facão”, garantiu Otacílio.
Cristiano, por sua vez, retrucou o prefeito e afirmou que ele mentiu. “A reunião foi no gabinete, junto com vários vereadores, quando o prefeito defendeu demissões na Câmara, principalmente do assessor parlamentar e da diretora. Ele fala besteira e a verdade é que ficou incomodado por não conseguir eleger o presidente do Legislativo. Parece aquela criança chorona, que quando perde o jogo, leva a bola e não aceita a derrota”, disparou Neves.
Para Cristiano, Otacílio quer “mandar na Câmara e na imprensa”. “Ao invés de falar besteira, ele deveria se preocupar com a administração, pois ainda há muito o que fazer”, finalizou.
Otacílio voltou ao ataque, desta vez na rádio 104. “O Pinhata está criando uma situação para justificar o erro, pois não queria uma reestruturação. Queria somente nomear uma determinada pessoa para um cargo de confiança, mas depois não teve coragem”, disse, dizendo que esta atitude é “falta de caráter”. Otacílio chamou Pinhata de “traidor” porque foi eleito presidente ao se aliar a vereadores da oposição.
“Eu apoiaria com certeza”, disse o prefeito, questionado sobre um possível “impeachment” do presidente. “Ele está desvalorizando totalmente o Legislativo. Está indo longe demais e talvez seja a hora de os vereadores pensarem em trocar o atual presidente”, afirmou Otacílio.

Em busca de fatos

Durante a semana, por ordem do prefeito, vereadores da bancada governista começaram a pesquisar eventuais falhas do presidente Paulo Pinhata na condução da Câmara.
Chegou a ser cogitada uma alteração irregular em projeto de reestruturação, mas a proposta, discutida há duas semanas, nem chegou ao plenário. Enquanto a “guerra” parece não ter fim, o vereador Pinhata disse, em entrevista à Band FM, que deseja paz. “Precisamos de mais tranquilidade para trabalhar”, sinalizou.

  • Publicado na edição impressa de 08/09/2019
Sobre Sergio Fleury 4589 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate