Capitão Augusto paga um assessor com verba destinada à publicidade

BARRETOS — Durante entrevista, Evangelista se apresenta como assessor parlamentar do deputado federal

Fato é confirmado pelo próprio ‘assessor’ em
entrevistas e eventos compartilhados nas redes sociais

Entrevistadora: — ‘Estamos aqui, com o Neno, ele que é assessor do deputado Capitão Augusto, o patrono dos rodeios […], uma pessoa íntegra, de caráter, e que uta por sua bandeira’
André H. Fleury Moraes
Da Reportagem Local

Embora o deputado federal Capitão Augusto Rosa (PL) possua mais de dez secretários parlamentares listados em Ourinhos, não é nenhum deles que vem prestando serviços de assessoria na região. Quem faz este serviço, na verdade, é Evangelista Inocêncio Batista, uma espécie de “assessor oculto” que não consta na lista dos funcionários pagos pela Câmara dos Deputados. Na verdade, ele é pago com verba destinada à publicidade, já que Rosa não pode nomear outro assessor porque já atingiu o número máximo de secretários permitido pela Câmara Federal: 25.
Evangelista Batista, 37, é apelidado de “Neno”. O DEBATE se referiu a ele, em reportagem nas das duas últimas edições e também pediu explicações, mas não houve respostas nem dele e nem do gabinete do deputado federal.
O curioso é que, mesmo sendo um prestador de serviços, Batista costuma se apresentar nos municípios como “assessor” do deputado federal. Em nenhum momento ele diz que é pago com verba publicitária — e tem agenda cheia.
Evangelista mora em Ourinhos e recebe pelos serviços de divulgação da atividade parlamentar de Augusto Rosa. Sua empresa fica num bairro residencial, onde provavelmente também mora. Os serviços prestados variam entre atualização de redes sociais e “produção de conteúdo”, segundo indicam as notas fiscais pagas em Brasília.

Neno Batista, o “assessor” pago com verba de publicidade da Câmara dos Deputados

Na “Festa do Peão de Barretos”, porém, Neno não era um mero prestador de serviços contratado. Ele viajou com o ‘chefe’ e, inclusive, foi entrevistado pelo site “Arena News”, novamente se identificando como “assessor”. “Estou aqui com o Neno [Evangelista], ele que é assessor do deputado Capitão Augusto, nosso patrono dos rodeios”, disse a entrevistadora. Evangelista Batista não retificou a afirmação da repórter.
Em seguida, parabenizou a produção de uma revista, a “Country Fever”, da qual — segundo a própria entrevistadora — o Capitão Rosa, membro da Frente Parlamentar dos Rodeios e da “Bancada da Bala”, é parceiro.
Em outra ocasião, também num rodeio, desta vez na cidade de Campos Novos Paulista-SP, o próprio Evangelista se apresenta ao público como “representante da Frente Parlamentar dos Rodeios” e, portanto, do deputado Capitão Augusto.
No momento, Neno foi chamado ao centro da arena para falar sobre o chefe, que não estava presente no evento. Batista aproveitou o discurso para afagar Augusto, para quem supostamente presta serviços.
Evangelista aproveitou a oportunidade para anunciar verba de R$ 100 mil para o rodeio de Campos Novos. A notícia foi dada diretamente ao prefeito da cidade, Júlio César do Carmo (PSDB). “O Capitão Augusto manda dizer que o compromisso dele está cumprido com o senhor”, disse Neno, referindo-se ao repasse de verbas à Festa do Peão, enquanto agia como assessor direto do deputado Rosa. Na verdade, não é permitida a liberação de verbas diretas para rodeios ou festas.
O próprio “assessor oculto” compartilhou nas redes sociais as entrevistas em que ele próprio se apresenta como “assessor” do deputado federal, o que não é verdade.
No dia 25 de agosto, o DEBATE revelou que Evangelista Inocêncio Batista recebeu R$ 11,1 mil todo mês, de fevereiro a julho. Em agosto, o valor foi o mesmo, conforme consta no portal da transparência.
O fato de Neno Batista receber valores fixos a cada mês alimenta a hipótese de que isso é, na verdade, um salário. Todavia, o recurso é desviado da verba publicitária para que Evangelista seja o 26º secretário do deputado Capitão Augusto.
Antes, ele recebeu, igualmente fixos, R$ 8,9 mil durante um bom tempo. Os valores aumentaram em fevereiro porque, segundo os documentos de prestação de contas da Câmara dos Deputados, Batista passou a prestar outros serviços a Rosa, como diagramar a “Revista da Frente Parlamentar dos Rodeios”, cujos indícios de existência a reportagem sequer encontrou.
Nenhum dos trabalhos mencionados em notas fiscais envolve representar o deputado em outros locais. Este tipo de relacionamento é exclusivo de assessores regulamente contratados.
O jornal encaminhou vários questionamentos ao deputado federal, a Evangelista e outros secretários parlamentares sobre o esquema de pagamento e os respectivos serviços. Entretanto, não houve nenhuma resposta.
O deputado federal Capitão Augusto Rosa também foi procurado, mas não enviou resposta alguma, nem mesmo nota por meio de assessoria.


Diagramação de revista sumiu de gastos

A revista “Frente Parlamentar dos Rodeios”, por cuja diagramação Evangelista recebia R$ 2 mil mensais, sumiu das notas fiscais de serviços. Batista recebeu o valor durante seis meses — de fevereiro a julho. Em agosto, o DEBATE revelou que não há indícios de circulação desta revista.
Da mesma forma, Evangelista e Capitão Augusto não responderam aos questionamentos da reportagem, entre os quais estava um pedido para o envio de edições anteriores da revista.
Na nota fiscal de prestação de serviços de agosto, não há mais a “diagramação da revista Frente Parlamentar dos Rodeios”. Agora, há apenas a “criação e produção de banner para o lançamento da Frente Parlamentar dos Rodeios”. Tudo é pago com dinheiro público.
Apesar da função diferente, o valor que Batista recebe para realizar o novo trabalho continua o mesmo de antes, R$ 2 mil. Desta forma, o ‘salário’ pago a Batista permaneceu o mesmo, fixo e mensal.
O curioso é que, embora Batista fosse contratado todo mês para diagramar a suposta revista da Frente Parlamentar, este movimento só foi lançado em agosto, pelo próprio deputado Rosa, em Barretos.


Assessor recebeu R$
286  mil nas eleições

Neno Batista e Augusto
durante campanha de 2018

O assessor “declarado” do deputado Capitão Augusto Rosa, Evangelista Inocêncio Batista — também conhecido como ‘Neno Batista’ — recebeu R$ 286 mil nas eleições de 2018.
A informação consta na prestação de contas do deputado Rosa no Tribunal Superior Eleitoral, que é pública e obrigatória.
Batista recebeu o dinheiro como contratado para prestar três serviços.
No primeiro, Neno embolsou R$ 110 mil para prestar “serviços eleitorais em todo o Estado”. A relação não informa quais foram esses serviços. No segundo, R$ 16 mil, foram para produzir vídeos. Por fim, recebeu mais R$ 170 mil para realizar “outros serviços” em campanha.
Todo o dinheiro foi embolsado para a realização de trabalhos em um período de um mês e meio.

  • Publicado na edição impressa de 15/09/2019
Sobre Sergio Fleury 4727 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate