Diego vai se filiar ao PSD de Kassab

COM KASSAB — O secretário de Saúde Diego Singolani vai entrar no PSD

E o ex-ministro poderá ‘abonar’ a ficha

Já lançado por Otacílio Parras (PSB) como candidato do grupo a prefeito no próximo ano, o secretário de Saúde, Diego Henrique Singolani Costa, anunciou na semana passada que vai se filiar ao PSD. O partido é presidido nacionalmente pelo ex-ministro Gilberto Kassab, que pode, inclusive, “abonar” a ficha de Singolani.
Diego está sem partido, depois de ter saído do PSOL. Ele explicou que entrou na legenda a pedido de um amigo, mas que não tinha militância política. Quando foi anunciado candidato do grupo governista a prefeito, o secretário já não estava mais no PSOL. O grupo também escolheu o vereador Edvaldo Godoy (DEM) como companheiro na chapa, na condição de candidato a vice-prefeito.
Kassab é o secretário da Casa Civil do governador João Doria (PSDB), mas está licenciado do cargo desde que foi alvo de uma operação da Polícia Federal no âmbito de investigações que envolvem delações de executivos da JBS. Kassab garante não serem verdadeiras as delações que acusam ele e o PSD de receberem R$ 58 milhões da JBS, mas se licenciou do cargo para, segundo ele, evitar constrangimentos a Doria.
Em 2015, quando esteve em Santa Cruz para inaugurar o prolongamento da avenida Tiradentes, o ex-ministro tentou levar o prefeito de Santa Cruz para o PSD, mas Otacílio preferiu o PSB. Na época, Parras havia deixado o PT, legenda pela qual se elegeu em 2012.
“Eu me filiarei ao PSD, pois é um partido que tem um bom trânsito no Governo do Estado. Aliás, percebemos que o governador João Doria vem fazendo um trabalho de gestão diferenciado no governo do Estado. Esta é a minha decisão, mas se o Kassab vem ou não só o futuro dirá”, afirmou.
Singolani também confirmou que já está conversando com vários partidos para discutir possíveis coligações nas eleições proporcionais — para prefeito e vice, já que elas foram proibidas na disputa para vereadores. “Claro que não existe campanha, uma vez que sou pré-candidato. Mas existe conversas, sim. A filiação no PSD foi discutida em grupo e as coisas estão tomando forma e se organizando”, afirmou. 

  • Publicado na edição impressa de 06/10/2019
Sobre Sergio Fleury 4727 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate