‘Assessor oculto’ tem aumento no ‘salário’

NA ESPLANADA — ‘Assessor oculto’ visitou Brasília a trabalho, embora seja contratado para fazer propaganda

R$ 2,4 mil foram adicionados nos gastos destinados a
Evangelista Batista; outros serviços também constam na nota

André H. Fleury Moraes
Da Reportagem Local

O ‘assessor oculto’ do deputado Capitão Augusto Rosa (PL), atualmente de Bauru, teve o ‘salário’ aumentado em setembro. Se, até agosto, Evangelista Batista recebia R$ 11.100 mensais fixos, em setembro o ganho foi maior: R$ 13.500 — um acréscimo de R$ 2.400. Tudo é pago com dinheiro público, mas em forma de notas de prestação de serviços.
A elevação do valor ocorreu porque, em um mês, Batista passou a “prestar outros serviços” ao deputado federal. Além disso, o valor de algumas funções, cujo serviço ele já fazia, aumentou.
É o caso, por exemplo, da ‘Criação de Artes da Frente Parlamentar de Segurança Pública’, serviço que já era feito por Batista por R$ 200 e aumentou para R$ 600.

Neno Batista apareceu em foto publicada na página oficial do deputado

Depois das denúncias do DEBATE de que o “assessor oculto” recebia para nem atualizar a plataforma de Augusto no YouTube, conforme notas de serviços, o canal do deputado passou a publicar produções quase que diariamente. Antes, eram raros os vídeos publicados.
As atualizações, porém, têm um preço. Uma nova cláusula foi adicionada ao contrato: edição de vídeos de discursos no plenário de Augusto. O valor pago pela Câmara dos Deputados pela edição é de R$ 2,5 mil.
O curioso é que o YouTube é uma plataforma estritamente voltada a vídeos, ou seja, nada se publica no site a não ser, propriamente, vídeos. Como, então, Neno atualizava o canal anteriormente, sendo que não recebia pela edição das produções? Essa foi a primeira pergunta no questionário enviado a ele na sexta-feira, ao qual Batista novamente deu de ombros e não respondeu.
O farto gasto com o ‘assessor oculto’ de Augusto, porém, também apresenta outras controvérsias. Neno recebeu R$ 1,5 mil para criar spots — áudios geralmente publicitários — sobre as atividades parlamentares do deputado Augusto Rosa para emissoras de rádios.
Em setembro, mês em que recebeu R$ 1,5 mil para a criação dos spots, não há nenhum gasto de Augusto Rosa com rádios, segundo consta no Portal da Transparência da Câmara Federal.
Da mesma forma, Neno Batista também recebeu, no mês passado, R$ 1,6 mil para atualizar a página no Facebook “Angra Doce”. As atualizações totalizaram meras seis publicações. Por cada postagem, portanto, o “assessor oculto” recebeu R$ 266.
A nota fiscal indica que todos os R$ 13,5 mil foram recebidos para prestar serviços durante 21 dias — de 1º a 21 de setembro.
Em agosto, o DEBATE revelou que Neno Batista recebe dinheiro de publicidade para, na verdade, trabalhar como assessor do deputado Rosa.
Nas notas fiscais, havia serviços pelos quais ele recebia e cujos indícios de existência material não foram sequer encontrados.
Batista também embolsou R$ 286 mil nas eleições de 2018 para trabalhar durante um mês e meio. Ele também é contratado pela Câmara Municipal de Canitar para prestar serviços que se resumem, basicamente, em enaltecer o deputado Augusto.
À época das primeiras reportagens, nenhum dos envolvidos respondeu aos questionamentos da reportagem sobre os gastos excessivos. Na semana passada, Batista também não respondeu às perguntas do DEBATE sobre o aumento no “salário” fixo em forma de serviços.

  • Publicado na edição impressa de 06/10/2019
Sobre Sergio Fleury 4727 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate