Eventos marcaram o ‘Dia das Crianças’ nos bairros de Santa Cruz

centenas de pessoas participam do almoço que fechou uma rua e mobilizou moradores na vila Divineia

Várias confraternizações foram realizadas em Santa Cruz do
Rio Pardo no feriado de sábado, todas dedicadas às crianças

Tânia Cristina com a netinha

André H. Fleury Moraes
Da Reportagem Local

Pelo menos mil pessoas se espalharam entre os bairros de Santa Cruz do Rio Pardo durante a tarde de sábado, 12, para celebrar o Dia das Crianças. Algumas para almoçar e, outras, para atuar como voluntárias nos tradicionais eventos que também comemoram o dia dedicado a Nossa Senhora Aparecida, considerada a “Padroeira do Brasil”.
Na vila Divineia, a responsável pela celebração é Tânia Cristina Lourenço da Silva, 42, que promove o evento há pelo menos 16 anos. “No começo, a gente corria atrás das doações. Hoje, como se tornou tradicional, praticamente não precisamos mais. O povo se solidariza naturalmente”, diz.
Às 13h do sábado, a rua Nego Maria — que fica cercada e coberta com uma tenda — já estava lotada, com cerca de 500 pessoas. Tânia explica que a quantidade de pessoas aumenta porque, enquanto algumas terminam de comer, outras chegam. Para ela, passaria de mil.

Centenas de pessoas participaram do almoço na Divineia

“E, depois, ainda há os veículos do Samu, que vêm aqui para distribuir doce às crianças”, disse ela.
Os preparativos na vila Divineia começaram já no dia anterior. Durante a madrugada, com a comida no fogo e o cheiro se espalhando, já havia gente perguntando sobre o almoço. “Alguns pedem comida a essa hora também”, afirmou.
A dedicação ao almoço é tanta que, segundo Tânia, alguns organizadores nem dormem na noite. “É o caso de meu marido. Mas ele nem liga, pois, afinal, sente-se realizado”, conta.
Macarronada, arroz branco, arroz temperado, feijão tropeiro, frango e maionese foram as opções da vez na Divineia. Quem prepara é a própria família de Tânia. “Minha neta se sente orgulhosa de fazer parte disso”, disse.
Mas não é só a neta da organizadora que sente orgulho. A própria Tânia se diz realizada por promover eventos como este. “Eu fui criada aqui na Divineia e não tinha o que comer. Chegamos a pedir esmolas. Proporcionar isso para as pessoas, então, é muito compensatório”, declara.

Na Bom Jardim, Cleuma e equipe servem almoço a crianças e adultos

Bom Jardim

No bairro de Geralda dos Reis Fernandes, a saudosa “Tia Geralda”, a movimentação também foi grande. A família da aposentada, que morreu em 2006 e começou a celebração, mantém a tradição que acontece há mais de 40 anos.
E não foi a temperatura beirando os 40º C que conseguiu evitar que os moradores da Bom Jardim saíssem de suas casas e fossem às ruas, num imóvel onde estava a família de Cleuma Jesus Cardoso e José Raimundo Fernandes, o “Cocão”, filhos de Geralda. “Todos conhecem o legado de Tia Geralda e sabem da importância de confraternizações como essa, que unem nosso povo”, afirmou Cleuma.
As crianças começaram o dia comendo churros, que foi distribuído na mesma rua, num evento do conhecido “Bola”. Depois, mais doces chegaram. Só então foi servido o almoço. Cleuma mobilizou às pressas os familiares para arrumar as mesas, com as crianças aguardando e se refrescando com o esguicho das mangueiras.
Segundo Cleuma, foram dezenas de quilos de comida servidos. Só de maionese, cerca de 30. De frango, mais de 20. Se sobrar, leva para casa quem quiser ou sentir necessidade.
Parte do alimento que sobrar também será doado a uma família cujo filho sofreu um acidente e está passando por dificuldades.
Apesar da promoção ser familiar, também há muitos voluntários. “Queremos agradecer primeiro aos doadores, sem os quais nada disso aconteceria. Depois, quem está aqui ao redor, que sempre acaba ajudando de alguma maneira. Quando chegam doações, e não tem ninguém em casa, eles recolhem e entregam depois. Ou mesmo na hora de fazer a comida”, explica.

Crianças aguardam ansiosas na fila do pula-pula no bairro Onofre Rosa, ao lado do Parque das Nações

‘Onofre Rosa’

No bairro Onofre Rosa, ao lado do Parque das Nações, crianças se divertiam nos tradicionais pulas-pulas enquanto, numa casa de esquina, eram servidos cachorros quentes e alguns quitutes.
Um pouco mais ao lado, pipocas eram distribuídas gratuitamente. E a fila estava grande.
Uma das organizadoras do evento no bairro é Patrícia Rodrigues Delgado, que promove a confraternização há cinco anos e conta com uma equipe de cerca de seis pessoas.
A maioria dos alimentos é preparado pela manhã, com exceção do trabalho que demanda mais tempo, como picar salsichas.
Tudo o que foi servido é produto de doações, que, segundo Patrícia, aumentam a cada ano. “O povo é muito solidário. E dar alegria a essas crianças é algo que não tem preço”, afirmou
As crianças ainda tiveram mais festa no domingo. No Jardim Brasília, a partir das 13, houve distribuição de lanches, pipocas, algodão doce e sorteve. O evento foi promovido pelo proprietário do “Robinho Lanches” e também já se tornou tradicional. Todos os anos ele é realizado na rua Gerônimo Logerfo, na esquina da avenida Amaral Santana.

  • Publicado na edição impressa de 13/10/2019

Veja mais fotos das festas do
Dia das Crianças em Santa Cruz
*  Fotos: André H. Fleury Moraes

Sobre Sergio Fleury 4971 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate