A nova aposta da Special Dog

Nova fábrica conta com os mais modernos maquinários, muitos exportados da Europa

A mais avançada fábrica brasileira de alimentos úmidos
para cães e gatos está instalada em Santa Cruz do Rio Pardo

QUALIDADE — Equipamento faz ‘raio-x’ dos produtos e descarta suspeitos

Sérgio Fleury Moraes
Da Reportagem Local

Foram anos de pesquisas de mercados, participação em feiras internacionais e discussão com fornecedores do Brasil e do exterior. Mas o resultado foi apresentado à imprensa há alguns dias, numa visita à nova fábrica da Special Dog, que marca o ingresso da indústria de Santa Cruz do Rio Pardo no segmento de alimentos úmidos para cães e gatos. Entrar na área de 5.000 metros quadrados, dentro do complexo da Special Dog, é como estar no futuro, já que a fábrica é considerada a mais moderna do Brasil.
O diretor administrativo Erik Manfrim, juntamente com técnicos da empresa, acompanhou os jornalistas na visita às instalações. Um dos fundadores da Special Dog, Erik disse que a nova fábrica significou um investimento de R$ 80 milhões. A meta é conquistar o segmento que ainda é considerado tímido no Brasil. Afinal, os brasileiros oferecem alimentos úmidos aos seus animais como uma espécie de petisco, enquanto na Europa esta novidade já disputa mercado com as rações tradicionais.

TECNOLOGIA — Nova fábrica da Special Dog, na mesma área do complexo industrial, é a mais moderna do Brasil
AUTOMAÇÃO — Máquinas de vários países estão na nova fábrica de S. Cruz

A aposta é que os úmidos têm uma margem enorme para crescimento no País. E a Special Dog, que já é uma das líderes brasileiras de alimentos secos para cães e gatos, tem planos para virar referência no setor. “É um grande passo que estamos dando, no momento certo, em um segmento que queremos conquistar”, disse Erik Manfrim.
Quase tudo é robotizado dentro da nova fábrica. A maior preocupação é com a qualidade dos produtos, tanto que o padrão sanitário é equivalente à indústria alimentícia humana. Para entrar no interior da estrutura, por exemplo, é preciso vestir uma espécie de jaleco descartável e existe até um equipamento que reveste automaticamente o calçado com um plástico. Dentro, é possível passar de uma área com temperatura um pouco acima do normal para uma outra com 18 graus negativos. Há, ainda, controle de ventilação, sistema de pressão positiva para evitar poeira e insetos, áreas climatizadas, painéis isotérmicos e outras inovações tecnológicas.

Capacidade é 600 toneladas/mês

A capacidade produtiva inicial é de 600 toneladas de alimentos úmidos ao mês, mas a fábrica foi construída já prevendo uma expansão rápida para 1.200 toneladas. Os equipamentos foram adquiridos no Brasil e em vários países do mundo. Há máquinas com alta tecnologia de automação industrial da Inglaterra, Irlanda, Alemanha e Japão. Até mesmo a embalagem de alguns produtos é fabricada em Israel.
Um dos equipamentos importantes é uma espécie de “raio-X” que detecta alguma impureza — mesmo em formato milimétrico — dentro da embalagem. Neste caso, a máquina descarta o produto automaticamente. Em seguida, os sachês são acondicionados em caixas através de uma máquina rápida, com tecnologia alemã.
A nova fábrica “wet” da Special Dog também segue todas as normas ambientais e é certificada pela Norma ABNT ISSO 14001. A estrutura tem iluminação LED e utiliza a água pluvial para fins secundários. Além disso, possui iso-painéis e exaustão das emissões em alta temperatura. Mas um dos grandes diferenciais é o sistema de exaustão com tratamento de odores, cujo investimento foi de R$ 1,5 milhão. O equipamento “captura” todo o cheiro resultante da fabricação, que é canalizado e passa por um lavador de gases. Por fim, o ar liberado na atmosfera é totalmente isento de odores.
Na visita às instalações, os jornalistas foram recebidos em um almoço, puderam acompanhar toda a produção da nova fábrica, participaram de palestras e ainda visitaram outros setores da Special Dog, como o canil e gatil, que cuidam dos animais que são os “provadores” dos produtos. Alguns são adestrados e fizeram exibições para os jornalistas. 


Paola Oliveira apresenta os produtos

A nova linha wet da Special Dog tem 30 produtos para cães e gatos, didividos de acordo com a idade, raças e leva em conta até o fato dos animais serem castrados. Há sachês e patês com vários sabores. A campanha publicitária será sendo lançada em outubro, com a participação da atriz Paolla Oliveira. Segundo Erik Manfrim, a indústria quer crescer junto com o mercado, mas de forma planejada e sustentável. O primeiro objetivo, segundo ele, é alcançar já no próximo ano as 600 toneladas mensais, que é a atual capacidade produtiva da nova fábrica.
Até a participação de Paolla Oliveira tem um motivo. A atriz é ativista da causa animal e madrinha de algumas instituições de proteção, como a ONG “Paraíso dos Focinhos”. Na publicidade gravada para anunciar os novos produtos da Special Dog, Paolla contou com os próprios pets como coadjuvantes.
Os produtos da linha ‘wet’ que chegam ao mercado também foram fabricados após intensas pesquisas e estudos da empresa, que chegou a um resultado que une três ingredientes principais: a alta performance, o sabor dos alimentos e a formulação com balanceamento de aminoácidos, vitaminas, ácidos graxos e minerais. A matéria prima é composta principalmente por carnes e miúdos de bovino, suíno, frango e peixe. Segundo os técnicos da Special Dog, os fornecedores também são submetidos a um alto padrão de qualidade. “As carretas são checadas antes mesmo de entrarem na fábrica. Se a temperatura não seguir a especificação, a carga não chega a entrar”, diz Mariana Monti, médica veterinária e nutricionista da indústria.

  • Publicado na edição impressa de 13/10/2019
Sobre Sergio Fleury 5870 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate