Francis Pegorer deixa secretaria no dia 31

Francis Pegorer vai deixar secretaria com obras já encaminhadas

Secretário disse que hipótese de saída
já havia sido discutida com o prefeito
Otacílio Parras antes da nomeação

Sérgio Fleury Moraes
Da Reportagem Local

O professor Francis Godoy Pegorer vai deixar o comando da secretaria de Educação no início do próximo ano. Ele deve se dedicar à carreira acadêmica na Etec “Orlando Quagliato” em 2020, escola da Fundação Paula Souza, onde pretende disputar o cargo de diretor. Na verdade, segundo explicou o próprio Francis, sua provável saída já estava acertada desde o início do ano, quando houve o convite de Otacílio Parras (PSB) para assumir a secretaria.

“Em janeiro, eu já estava em processo de qualificação para concorrer à direção da Etec. Então, avisei que eram três fases e, caso eu fosse qualificado, deixaria a secretaria no dia 31 de dezembro”, disse. Francis foi qualificado e precisa reassumir a carreira acadêmica, inclusive para fazer campanha para o cargo de diretor. Ele deixa de ser secretário no final do ano e já indicou um substituto, aceito por Otacílio: o professor Marco Aurélio Martelini.

Francis Pegorer assumiu a pasta da Educação em março deste ano. Ele havia sido escolhido em janeiro, mas a Fundação Paula Souza, mantenedora da Etec, só o liberou em março. Francis substituiu o advogado Fernando Bitencourt, que pediu exoneração em março de 2018. Durante um ano, a secretaria funcionou sob o comando de diretoras e subsecretárias.

A Educação é um dos pontos nevrálgicos da administração Otacílio. O primeiro secretário escolhido, antes da posse do prefeito em 2013, foi o professor Adalberto Domingues, que recusou alegando que sua especialidade era à frente de uma lousa. Depois, Otacílio indicou o então diretor da escola “Leônidas do Amaral Vieira”, Ney Calvoso, que desistiu semanas depois porque, no cargo, enfrentaria problemas para se aposentar. O prefeito, então, nomeou Lúcia Pinhata e depois Silvia Gazola. Mais adiante, entrou Fernando Bitencourt, que saiu em março do ano passado. Até a nomeação de Francis, a Educação permaneceu sem titular durante um ano.

Apesar do curto período na secretaria, Francis Pegorer enfrentou problemas, como a paralisação das construções das creches no Jardim Paulista e no bairro da Estação, obras que foram abandonadas pelas respectivas construtoras. O secretário conseguiu retomar a construção da creche na Estação e a do Paulista está em fase de contratação de nova empreiteira.

Além disso, ele vai deixar o cargo com reformas e ampliações de escolas já encaminhadas, como a “Professor Arnaldo Moraes Ribeiro” e a “Frei José Maria Lorenzetti”. Também já estão definidas as reformas das EMEIs “Haidê Castro”, “Peralta” e “Tereza Maria de Jesus”.

Francis Pegorer ainda deixa pronto um projeto de inserção de robótica na rede municipal, que será aplicado a partir do próximo ano, inicialmente na escola “Frei José Maria Lorenzetti”. Outros projetos educacionais também se destacaram na gestão do secretário, como “Sítio do Picapau Amarelo”, “Vida Marinha” e o “Seminário da Primeira Infância”. A educação investiu, ainda, em psicologia comportamental para auxiliar a professora no atendimento de crianças com necessidades especiais. Ao mesmo tempo, a secretaria adquiriu “mesas interativas”, que possibilita, por exemplo, crianças com paralisia cerebral interagir com o material.

Como secretário, Francis estreitou a relação com o Ministério Público, através do promotor Marcelo Saliba. “Foi uma excelente parceria. O Marcelo passou a visitar as escolas municipais para conhecer nossa estrutura e conversar com os professores, direção e pais de alunos. Isto trouxe uma grande segurança para o trabalho de todos”, afirmou.

O secretário implantou projetos para incentivar a leitura, especialmente para alunos da educação infantil. Para tanto, houve aquisição de novos materiais didáticos que permitem o contato com livros no início da vida escolar. “As crianças conseguem tirar informações dos livros antes mesmo de conhecer a leitura”, explicou Francis.

Segundo o secretário, apesar de curta, a gestão dele na Educação abordou novos pensamentos e trouxe projetos diferenciados para a rede de ensino. “Claro que não consegui atender muitas coisas e também errei, embora sempre na intenção de acertar. Mas acho que deixei algo plantado, que talvez possa ser reconhecido no futuro”, afirmou.


Novo secretário é o atual
coordenador da ’Intesp’

O professor Marco Martelini

O novo secretário de Educação será Marco Aurélio Martelini, atual coordenador da Intesp, a faculdade de Engenharia Elétrica de Ipaussu. Com vasta experiência no ensino superior, Martelini — conhecido como “Marco Boca” — é doutor em genética. A indicação foi feita pelo próprio Francis Pegorer e aceita pelo prefeito Otacílio Parras.

“Eu o indiquei por perfil, pois não o conhecia. No entanto, é um nome puramente técnico, alguém que a administração realmente desejava”, explicou Francis. “Apesar de não ter amizade com o Marco, já ouvi falar muito do trabalho dele”, afirmou.

Martelini possui parentes em Santa Cruz do Rio Pardo. Um dos irmãos, Victor, é dono de uma farmácia na cidade. Hoje na Intesp de Ipaussu, Marco Aurélio já foi coordenador da “São Lucas Educacional” e da Fundação Ermínio Ometto.

A administração ainda não confirmou se o novo secretário toma posse no início do ano. No entanto, Francis Pegorer disse que já está conversando com Marco Aurélio Martelini para realizar a transição na secretaria. 

  • Publicado na edição impressa de 22/12/2019
Sobre Sergio Fleury 5331 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate