Câmara de S. Cruz libera ‘trailers’ perto de postos de saúde e hospitais

O vereador João Marcelo Santos

Os vereadores de Santa Cruz do Rio Pardo revogaram o dispositivo do Código de Postura que proibia a presença de vendedores ambulantes e “trailers” de produtos alimentícios nas proximidades de postos de saúde de hospitais. Na verdade, o mesmo artigo também proibia este tipo de comércio perto de escolas e repartições públicas, o que já não era cumprido há anos.

O autor do projeto que liberou os “trailers” é o vereador João Marcelo Santos (DEM), para quem o dispositivo do Código de Postura estava totalmente defasado. Segundo ele, famílias e até pacientes que são usuários de serviços de saúde usam o comércio com frequência para se alimentarem enquanto aguardam atendimento.

João Marcelo ficou irritado com a determinação do setor de fiscalização do município, que determinou a notificação dos trailers localizados próximos ao Centro de Saúde e à Santa Casa para se retirarem em 30 dias. Estes comerciantes atuam nos mesmos locais há décadas.

A iniciativa do vereador do DEM foi elogiada por vários vereadores e aprovada por unanimidade. Após a promulgação, as notificações de fiscais do município contra comerciantes serão anuladas.

‘Trapalhadas’

Esta foi a segunda polêmica criada pela atual administração entre comerciantes. Em junho, uma ‘blitz’ de fiscais do município determinou a suspensão de música ao vivo em bares e restaurantes de Santa Cruz. A operação foi realizada em plena noite de 12 de junho, quando é comemorado o “Dia dos Namorados”.

A ordem partiu da então secretária de Assuntos Jurídicos do governo, Carla Pereira, que teria atendido um pedido do próprio namorado, dono de um estabelecimento no Jardim Eldorado que sofreu denúncias de vizinhos por excesso de barulho.

Houve protestos e a constatação de que a secretária, na verdade, estava interpretando a legislação municipal para beneficiar o namorado.

Na época, o prefeito Otacílio Parras disse que a atitude da secretária havia sido correta e reagiu à iniciativa da Câmara de aprovar uma nova lei deixando ainda mais claro a liberação de música ao vivo em estabelecimentos. “Que suspendam o Código de Postura e que a cidade vire terra de ninguém”, reclamou Otacílio. Em seguida, demitiu a secretária Carla Pereira. 

  • Publicado na edição impressa de 22/12/2019
Sobre Sergio Fleury 5353 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate