ACE Ourinhos refuta rumores sobre nova associação comercial

PRÓXIMOS — Robson Martuchi e Diógenes Corrêa posam para foto ao lado do presidente da Fiesp, Paulo Skaf

Presidente diz não se preocupar
com abertura de nova entidade

Eduarda Schuh
Da Reportagem Local

Rumores sobre a criação de uma nova entidade “alternativa’ para representar comerciantes surgiram no final de dezembro. A informação foi veiculada pelo site “Ourinhos Notícias”, de propriedade de Felipe Chamorro, atual secretário de imprensa do prefeito Lucas Pocay (PSD). No entanto, não há informações precisas e cita “comerciantes descontentes” com a atual diretoria da ACE. O presidente da ACE, Robson Martuchi, diz que as notícias sobre a suposta insatisfação foram publicadas como uma forma de “ataque”, sem nenhum fundamento.

A versão é ainda mais estranha porque sugere o nome de Diógenes Corrêa como virtual comandante da entidade “alternativa”. Diórgenes é assessor do deputado federal Capitão Augusto Rosa, inimigo capital do prefeito Lucas Pocay, que emprega o dono do site. O deputado já usou a tribuna da Câmara Federal para denunciar irregularidades no governo de Lucas Pocay.

O material publicado na internet indica que a eleição de Robson Martuchi como presidente da ACE foi o “estopim do desejo de se criar uma nova associação”. Para Robson, porém, há “interesses pessoais” por trás da especulação.

“Em 2017, quando eu me tornei tesoureiro, a ACE fez exigências aos veículos que faziam a nossa publicidade. O ‘Ourinhos Notícias’ não atendeu aos critérios e cortamos os anúncios deles. Acho que isso gerou uma mágoa”, afirmou o dirigente.

Em uma das matérias do site, Robson e o antigo presidente, Diógenes Corrêa, são comparados. “Diferente do antigo dirigente Diógenes Correia Leite, Martuchi não possui qualquer representatividade”, diz o texto. Robson, entretanto, garante que ele e Diórgenes diariamente trabalham juntos, são amigos e representam as mesmas ideias. Martuchi, aliás, sucedeu Diórgenes na presidência.

A ACE é uma entidade classista que representa os comerciantes de Ourinhos desde 1933. Como em todos os municípios, ela não tem fins lucrativos e oferece apoio ao setor empresarial e comercial.

Hoje, a associação tem mais de 900 associados e, de acordo com seu presidente, não teme possíveis concorrentes. “Estamos em uma democracia e somos livres. Se alguém não está satisfeito e quer tentar outra instituição, que vá em frente”, afirmou Robson Martuchi.

Mas há muitos obstáculos para uma associação “alternativa”. O Sebrae, Senai, Banco do Povo e outros órgãos costumam celebrar convênios apenas com as ACEs do Brasil. 

  • Publicado na edição impressa de 05/01/2020
Sobre Sergio Fleury 5909 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate