Ministério Público investiga Neno Batista, o assessor ‘oculto’ de Augusto

Capitão Augusto Rosa com seu assessor "oculto" Neno Batista

Evangelista é contratado para fazer publicações
no site e em redes sociais
da Câmara de Canitar, que
também é investigada pelo Ministério Público

André H. Fleury Moraes
Da Reportagem Local

O Ministério Público de Chavantes abriu um inquérito na semana passada para investigar Evangelista Inocêncio Batista, o assessor ‘oculto’ do deputado federal Capitão Augusto Rosa (PL).
A investigação tem relação com o contrato de “Neno” — como Evangelista é conhecido — com a Câmara Municipal de Canitar, um dos menores municípios da região de Santa Cruz do Rio Pardo. O órgão do Legislativo também é investigado no inquérito.

Neno Batista mora em Ourinhos e firmou contrato com a Câmara de Canitar — para prestar serviços de assessoria de imprensa — em julho do ano passado.

Com validade de um ano, o acordo prevê 12 pagamentos de R$ 1.320 mensais — totalizando R$ 15.840 — e ainda está em vigor.

Até agora, Batista já recebeu R$ 9.240 do Legislativo da cidade. O contrato determina a elaboração de reportagens e outros conteúdos para o site institucional da Câmara, bem como para as redes sociais.

Quase um ano depois de contratado, Neno nunca assinou matéria alguma na seção “notícias” do portal da Câmara na internet.

Nas redes sociais, as publicações também não são frequentes. A própria página do órgão no facebook, criada após o contrato ser firmado, traz poucas informações.

Em agosto do ano passado, um mês após ter sido contratado, o presidente da Câmara de Canitar, Francisco Ribeiro dos Santos, gravou um vídeo agradecendo o deputado Augusto Rosa por uma verba que destinou à cidade.

Quem grava o vídeo é o próprio Neno Batista, que somente no ano passado recebeu R$ 138 mil do “chefe” Capitão Augusto, que o contrata com dinheiro de publicidade. Enquanto isso, Neno trabalha, na verdade, na assessoria do deputado.

Por morar em Ourinhos e atuar na assessoria de Rosa, Neno dificilmente está em Canitar, cidade onde mantém contrato.

No dia 13 de fevereiro, por exemplo, Neno publicou na página da Câmara informações sobre a sessão do dia 7, uma semana depois.

Evangelista Batista foi procurado pela reportagem na sexta-feira, 21. Até a conclusão desta edição, ele não havia se manifestado.

O presidente da Câmara Municipal de Canitar, Francisco Ribeiro dos Santos, também foi procurado. Ele afirma que ainda não teve acesso ao teor completo do inquérito, já que foi notificado somente na sexta-feira, 21. 


Notas fiscais de Neno voltam
a apresentar inconsistências

Em agosto do ano passado, quando o DEBATE noticiou os fartos gastos públicos do deputado Capitão Augusto Rosa (PL) com seu assessor ‘oculto’ Neno Batista, mostrou também inconsistências em notas fiscais apresentadas pelo deputado.

Nota fiscal que mostra os serviços prestados por Neno para o deputado Capitão Augusto; jornal sem indícios de existência é o último ítem

Em 2019, Batista recebeu R$ 2 mil — dentro de uma cota mensal de R$ 11.100 — para diagramar a revista “Frente Parlamentar dos Rodeios” durante vários meses, segundo constava das notas fiscais.

Na época, a reportagem procurou, mas não encontrou indícios de que a publicação existisse — fato que persiste até hoje e nunca foi investigado pelo Ministério Público. No mês seguinte à matéria do DEBATE, setembro, a revista da Frente Parlamentar sumiu das notas fiscais.

Em novembro do ano passado, no entanto, aparece em nota fiscal a “diagramação do jornal Frente Parlamentar dos Rodeios”, serviço pelo qual Neno recebe R$ 1.200.

A reportagem também não encontrou indícios de que este jornal exista e pediu a Neno Batista fotos de exemplares, mas não obteve resposta.

Além disso, também consta do documento a atualização da página “Projeto Angra Doce” no facebook. Em dezembro, mês em que recebeu R$ 1.600 foram feitas quatro publicações na página — ou seja, por cada uma, Neno recebeu R$ 400.

A página, no entanto, mostra “Patrícia Diner”, cunhada do deputado Rosa e seu ferrenho apoiador, como membro da equipe. Ela mesma confirma isso em seu perfil nas redes sociais. “Gerencia Angra Doce”, escreve Patrícia na seção “sobre”.

Neno foi perguntado sobre se ele gerencia de fato a página na rede social, mas não proferiu declarações até a conclusão desta edição.

Tudo indica que a empresa “Evangelista Inocêncio Batista” foi criada justamente para prestar serviços ao deputado Augusto Rosa.

A partir de julho do ano passado, quando Neno Batista foi contratado para prestar serviços à Câmara Municipal de Canitar (leia acima), a numeração de suas notas fiscais emitidas por trabalhos para Augusto Rosa intercala dois números na maioria das vezes: 209, 212, 214, 216 e 218. 

  • Publicado na edição impressa de 23/02/2020
Sobre Sergio Fleury 5535 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate