Prefeito estende fechamento do comércio de Santa Cruz até 27 de abril

Desde sábado, o comércio funcionou parcialmente; nesta terça-feira, todos fecham

Otacílio decretou medidas ainda mais
restritivas nesta segunda-feira, 23

O comércio de Santa Cruz do Rio Pardo terá medidas mais restritivas do que aquelas determinadas pelo governador João Doria (PSDB). Nesta segunda-feira, 23, o prefeito Otacílio Parras (PSB) determinou o fechamento de lojas, estabelecimentos de serviços, lazer (pesqueiros, casas noturnas, galerias, salão de festas e eventos) até o dia 26 de abril.

As medidas foram tomadas para tentar evitar a proliferação do coronavírus na cidade. Nesta segunda-feira, a assessoria do prefeito anunciou que há 11 casos suspeitos no município. Dois deles estão internados na Santa Casa de Misericórdia, enquanto outros nove estão em isolamento social. De acordo com o secretário de Saúde, Diego Singolani, em nenhum dos casos os pacientes apresentaram evolução grave.

O novo decreto do prefeito proíbe hotéis, pensões e pousadas de receberem novos hóspedes, além de manter suas dependências com serviços de limpeza de acordo com as recomendações para o enfrentamento do Covid-19.

Os postos de gasolina e padarias estarão fechados após as 19h e aos domingos. O objetivo é impedir a venda de produtos nas lojas de conveniência, que também estarão fechadas.

De acordo com a norma, os estabelecimentos comerciais e de serviços poderão manter as atividades internas, desde que o acesso ao público permaneça fechado. Os atendimentos através de “delivery”, por telefone, e-mail ou outro meio digital, estão autorizados.

Mesmo os estabelecimentos qualificados como essenciais, cujo funcionamento continua autorizado (supermercados, açougues, bancas, mercearias, entre outros), deverão fechar suas portas a partir das 19h.

Não é permitido, durante o período desta quarentena, o consumo de alimentos dentro destes estabelecimentos. Eles também deverão adotar medidas para restringir ao máximo a permanência de pessoas em seus interiores.

Todos os bares, restaurantes, confeitarias, cafés, lojas de conveniência e distribuidoras de bebidas deverão fechar suas portas, só sendo permitido a compra mediante “delivery”.

Quem descumprir as normas, de acordo com o decreto do prefeito Otacílio Parras, poderá ser autuado com multa de 5 a 50 UFM (Unidade Fiscal do Município). O município, entretanto, poderá até cassar o alvará de funcionamento dos estabelecimentos infratores. Segundo o prefeito, todas as medidas restritivas poderão ser suspensas caso a pandemia de coronavírus seja contida.

Leia baixo a íntegra do decreto anunciado nesta segunda-feira.

Sobre Sergio Fleury 5838 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate