Bragato vê ‘reinvenção’ do PSDB em Santa Cruz

O deputado Mauro Bragato, após reunião na casa da vereadora e ex-prefeita Maura Macieirinha, filiada ao PSDB

Deputado se reúne com opositores e disse que gostou da participação do PSDB na chapa de Luciano Severo

 

André Fleury Moraes
Da Reportagem Local

Em visita a Santa Cruz do Rio Pardo na última quinta-feira, 18, o deputado estadual Mauro Bragato (PSDB) se reuniu com vereadores ligados à oposição e discutiu, entre outras coisas, o período eleitoral que já se aproxima.

Em entrevista ao DEBATE, o tucano falou, entre outras coisas, da renovação do PSDB no município e garantiu que o pleito pode ser uma oportunidade para o partido — “esquecido” após a era Adilson Mira — se reinventar no município.
Confira, a seguir, os principais trechos da conversa.

Mauro, você veio a Santa Cruz hoje e esteve reunido na casa da vereadora Maura Macieirinha. Pode explicar o motivo da reunião?

Eu tenho o costume de visitar companheiros de partido e diretórios municipais. Já cogitei vir até Santa Cruz em outras oportunidades, mas não consegui. É hora de conhecer os novos integrantes do partido. Estou passando em todas as cidades para ver como os diretórios partidários estão se comportando. Avalio como positivo o resultado.

Como você analisa o partido em Santa Cruz, que nas últimas eleições foi duramente derrotado pelo PSB de Otacílio Parras?

Penso que Santa Cruz é uma cidade de classe média. A formação cultural e social é mediana, então o PSDB naturalmente sempre teve presença, inclusive nas campanhas. Não sei se no futuro será assim, mas hoje é. O que imagino é um candidato com quem possamos ter contato. Afinal, é necessário um bom diálogo com o governador João Doria, filiado ao partido.

O PSDB já tem alguns pré-candidatos na cidade. Um deles é o vereador Luciano Severo, aliado político do partido e cujo pré-candidato a vice-prefeito é tucano. Você acha que chegou a hora de revitalizar o partido em Santa Cruz?

Eu penso que seja realmente o caminho. Quando conversamos com o Severo para fazer uma aliança, pensamos justamente nisso. Com a experiência do Severo aliada à de Maura – que já foi prefeita -, será possível dar uma força ao PSDB no município, mais até do que a de hoje. A chapa anunciada pelo Severo é boa. Acredito em uma vitória. Tenho falado inclusive em São Paulo a respeito.

Você já foi o mais votado em Santa Cruz e, apesar da queda no número de apoiadores, sempre esteve presente na cidade, que também tem um deputado estadual, o Madalena. Isso atrapalha em algum sentido?

Não atrapalha. A concorrência faz parte do jogo político. Em algumas cidades você tem concorrência. Em outras, não. O que vale é o trabalho que você executa no Legislativo. O que é preciso ter é proposta. E viemos conversar hoje justamente sobre isso. Queremos ideias que tenham pé no chão, afinal, o orçamento do ano que vem certamente será baixo por causa da pandemia. De modo geral, é uma cidade estruturada e bem organizada.

Houve uma polêmica recentemente sobre o recapeamento da estrada da Graminha. O Severo havia anunciado a obra em fevereiro como obra do governo do Estado. E o prefeito foi às emissoras de rádio contestando o vereador. Como o senhor vê essa situação?

Posso dizer que o Severo e a Maura estiveram comigo no Palácio dos Bandeirantes e posso garantir que a obra será uma realidade. Não vejo motivo para essa polêmica do prefeito. Se ele não fez, deixe que outro faça. Faz parte do jogo democrático. A obra é só uma questão de tempo.

Além da crise do coronavírus, o País vive hoje uma crise institucional, com atrito entre os três poderes. Qual análise você faz em relação a isso?

É algo realmente grave. O presidente da República sempre faz uma declaração antissistema e desqualifica as instituições – ora o Supremo, ora o Congresso. Ele conspira contra a democracia. Vejo com preocupação. Até agora, a imprensa, o Supremo e o Congresso seguraram bem a situação. Espero que as falas do presidente se resumam a meros dizeres, já que isso enfraquece a democracia.