Prefeito de Santa Cruz anuncia fechamento do comércio aos sábados e supermercados aos domingos

Otacilio vai proibir comércio de funcionar aos sábados; supermercados não poderão abrir aos domingos

Para Otacílio, medida é necessária como prevenção para o aumento de casos positivos da Covid-19

 

Ao se deparar ontem com o número de 205 casos positivos de coronavírus em Santa Cruz do Rio Pardo, o prefeito Otacílio Parras (PSB) anunciou em seu vídeo diário nas redes sociais que já decidiu algumas medidas para tentar reduzir o contágio na cidade. Desde a semana passada o prefeito vem alertando que o comércio pode voltar a fechar as portas e que a medida pode ser adotada de acordo com a análise dos casos.

Otacílio disse que a partir deste sábado, 4 de julho, o comércio de Santa Cruz vai fechar suas portas, inclusive atividades tidas como essenciais – loja de materiais de construção, oficinas, autopeças e outras. Os supermercados, por sua vez, não vão abrir aos domingos. “Independentemente da evolução dos casos em Santa Cruz, esta providência já está tomada”, disse o prefeito, anunciando que vai assinar um decreto nos próximos dias.

O comércio volta às atividades na segunda, mas possivelmente volta a fechar no sábado seguinte. Já os templos religiosos, segundo o prefeito, só poderão permanecer abertos num esquema de rígido controle sanitário. Bares e restaurantes, que foram autorizados a funcionar no final da semana passada, serão analisados, de acordo com Otacílio. “Até o momento, os casos detectados em Santa Cruz não têm origem nas atividades comerciais. São grupos familiares com a contaminação ocorrida em outros locais. Mas isto será analisado diariamente”, afirmou.

“Faremos muitas coisas mais, para proteger nossa população e as atividades econômicas do município”, explicou.

Ele também suspendeu o passe livre do ônibus circular aos idosos. “A partir de hoje, serão dez passes por mês para cada idoso e a carteirinha não serve mais como vale-transporte”, disse.

 

Municípios têm autonomia?

Santa Cruz não está seguindo a determinação do governador João Doria (PSDB), que estabeleceu a “fase vermelha” para a região de Marília, com o funcionamento apenas das atividades consideradas essenciais.

Em Piraju, de acordo com informações do jornalista Cristiano Amorim, a partir de hoje os estabelecimentos comerciais considerados não essenciais voltarão a fechar as portas. Segundo ele, a prefeitura vai seguir o decreto do governador João Doria, que rebaixou a região de Bauru – da qual pertence Piraju – para a fase “vermelha”.

Segundo o jornalista, a representante do Ministério Público de Piraju alertou que, caso Piraju não seguir as orientações do Estado, o chefe do executivo poderia responder a uma ação civil pública. O prefeito José Maria Costa afirmou que deve tentar derrubar o decreto do governador por meio de um mandado de segurança.

 

 

Sobre Sergio Fleury 5814 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate