Prefeito não descarta volta total às aulas

O prefeito Otacílio Parras (PSB), durante entrevista coletiva em julho (Foto: André Fleury)

Otacílio anunciou que, tendo em vista decisão do governo estadual, 3º ano do ensino médio vai voltar em outubro

 

Sérgio Fleury Moraes
Da Reportagem Local

O anúncio feito na sexta-feira, 18, pelo governador João Doria (PSDB), que garantiu o retorno às aulas no dia 7 de outubro – do ensino fundamental, médio e EJA (Educação de Jovens e Adultos), influenciou também o prefeito Otacílio Parras (PSB).

O prefeito disse que em Santa Cruz do Rio Pardo pelo menos o 3º ano do ensino fundamental vai voltar às atividades presenciais. Já o retorno do ensino fundamental ainda está sendo discutido.

O governador disse que a medida vai depender da autorização de cada município, conforme o entendimento do STF, que deu autonomia aos prefeitos para a decisão final. Com isso, o prefeito Otacílio Parras (PSB) mudou de opinião e vai autorizar o retorno gradual às aulas ainda neste ano. Ele já garantiu que o 3º ano do ensino médio volta no dia 7.

Há pouco mais de um mês, Otacílio havia dito que as aulas não seriam retomadas em 2020 em Santa Cruz do Rio Pardo. Entretanto, ele reviu a própria posição ao confrontar os índices da covid-19 no município, que está em queda.

O prefeito explicou que o retorno do ensino fundamental ainda não está garantido. Na terça-feira, por exemplo, houve uma reunião entre todos os secretários de Educação da região, quando a manutenção da quarentena foi decidida. Na ocasião, porém, ainda não havia a manifestação do governador João Doria.

Na sexta-feira, o prefeito se reuniu com o secretário da Educação, Marco Aurelio Marteline, e garantiu o retorno somente do 3º ano do ensino médio.

A volta do ensino fundamental ainda será discutida nos próximos dias, mesmo porque o Estado agendou o retorno para 3 de novembro.

“Todas as escolas estão sendo preparadas para o possível retorno às aulas”, afirmou o prefeito, segundo informou a secretaria de Gestão e Comunicação.

O plano de retomada da educação em São Paulo foi anunciado pelo governador João Doria na sexta-feira. De acordo com Doria, a decisão de começar o retorno pelo ensino médio e EJA é explicada pela forte evasão escolar.

Todas as mais de 5.000 escolas do Estado, caso sejam autorizadas a voltar pelos respectivos prefeitos dos municípios, deverão apresentar um plano de adaptação à secretaria de Educação e às Diretorias Regionais de Ensino. O governador enfatizou que haverá limite máximo de alunos e respeito absoluto aos protocolos sanitários.

“Se uma escola não tiver as condições garantidas, não terá autorização para retornar”, disse João Doria. As regras do governo determinam que os anos iniciais do ensino fundamental podem ter até 35% dos alunos em atividades presenciais. Para os anos finais dos ensinos fundamental e médio, o limite máximo é de 20%.

Os estudantes e profissionais portadores de doenças crônicas ou fatores de risco poderão continuar exercendo as atividades de forma remota, em suas residências. 

 

  • Publicado na edição impressa de 20 de setembro de 2020