Com nova vice, Severo elogia governo, mas diz que morador deve ser mais respeitado

O vereador e candidato a prefeito Luciano Severo discursa no plenário da Câmara durante convenção na terça

Vereador foi lançado candidato a prefeito em convenção realizada na terça-feira, 15; vice é pastora evangélica

 

Sérgio Fleury Moraes
Da Reportagem Local

Quatro anos após ser o vereador mais votado da coligação que apoiou o prefeito Otacílio Parras (PSB), de quem foi líder na Câmara, Luciano Severo foi aclamado na noite de terça-feira, 15, como o candidato a prefeito por um grupo de partidos liderado pelo Republicanos e PSL. A novidade no grupo de oposição foi a troca do candidato a vice. Na véspera da convenção, o médico Hector Pinheiro, alegando problemas particulares, desistiu de participar da chapa.

Severo aproveitou a visita do senador Major Olímpio (PSL) na segunda-feira, 14, para anunciar a nova vice. É a pastora Adriana Piga (DEM), 46, que possui um histórico de trabalhos sociais e de evangelização em Santa Cruz. Ela atua no ministério “Aliança” e trouxe, além da religião, um toque feminino para a chapa.

A coligação que apoia Severo é formada pelo Republicanos, PSL, PSDB, PTB, DEM e Progressistas. Ao todo, 62 candidatos vão disputar as 13 cadeiras da Câmara Municipal.

Candidatos do grupo de oposiçlão e seus respectivos cônjuges acenam para o público durante a convenção
O beijo de Severo em sua mulher, Solange

Em meio a bexigas verde e amarelo, um telão onde foram exibidas mensagens de apoio de deputados e um enorme cartaz com as fotos de Severo e Adriana Piga, a convenção conseguiu esquecer a angústia do último final de semana, quando Severo ficou sem um vice.

Foi o próprio candidato quem deu um tom religioso em seu discurso, contando que se prostou diante de Deus no domingo para perguntar se deveria continuar na disputa. “E Ele me mostrou o caminho, com a pastora Adriana Piga”, explicou. O acerto aconteceu no domingo, 13, às 22h30.

Pastor Josué Britto discursa durante a convenção de terça-feira, quando estiveram vários líderes religiosos
Adriano Roberto Lopes, assessor do deputado Mauro Bragato

Severo é católico e não vê problemas em ter uma vice evangélica. “Somos cristãos, preocupados com a família, a moral e os bons costumes”.

Luciano Severo disse que não seria “hipócrita” ao criticar a administração de Otacílio Parras. “Afinal, nós apoiamos suas iniciativas na Câmara”, explicou. No entanto, disse que falta um maior respeito pelas pessoas. “É por isso que nossa coligação foi batizada de ‘As Pessoas em Primeiro Lugar’. É preciso respeitar o funcionário público para que ele possa realizar um bom atendimento. Falta humanização no governo”, disse o candidato a prefeito. “Na verdade, o povo ainda precisa de muita coisa, especialmente no setor habitacional”, disse, lembrando que tem o apoio do governador João Doria e do presidente Jair Bolsonaro.

Convenção dos partidos que apoiam Severo levou grande público à Câmara

Severo disse que, caso eleito, pretende dar um tratamento diferenciado à Saúde, retomando temas que, segundo ele, foram ignorados pela atual administração. Além de citar a necessidade urgente de implantar aparelhos de homodiálise na Santa Casa, Severo lembrou que deseja a implantação de uma “casa de apoio” a pacientes que fazem tratamento contra o câncer no hospital de Jaú. Ele já propôs um projeto neste sentido, mas uma emenda governista mudou o verbo para impedir a implantação imediata. “Se eleito, quero montar esta casa em Jaú no primeiro mês de mandato”, afirmou.

O vereador Luciano Severo vai disputar sua sexta eleição, sendo a terceira para prefeito. O número o anima, já que outros prefeitos alcançaram o cargo na terceira eleição disputada. É o caso de Manoel Manezinho e até do prefeito Otacílio Parras. É por isso que ele saudado várias vezes como “chegou a sua vez, Severo”.


Adriana foi apresentada durante visita do senador Olímpio, na segunda

‘Jesus Cristo foi um político’

A pastora Adriana Piga foi anunciada como candidata a vice na chapa de Luciano Severo, em substituição ao médico Héctor Pinheiro, um dia antes da convenção partidária que homologou a chapa. Na tarde de segunda-feira, 14, ela foi apresentada durante a visita a Santa Cruz do senador Major Olímpio, que foi recepcionado por correligionários no prédio da Câmara.

Aos 46 anos, Adriana disse que os cristãos não podem ignorar a política. “Jesus Cristo foi um político e as pessoas estão compreendendo mais este fato hoje em dia”, afirmou. “Na verdade, cada pessoa tem a sua religião, mas todos devemos praticar o bem”, avaliou.

Ela revelou que é filiada ao DEM há muitos anos e começou a pensar em sair candidata a vereadora. “Mas, para surpresa nossa, veio o convite para ser a vice. Realmente foi um susto”, contou a candidata.

Adriana nasceu em Santa Cruz do Rio Pardo, se converteu ao Evangelho há 23 anos, na época na Igreja Quadrangular, e hoje dirige seu próprio ministério. Segundo ela, a condição de pastora — ordenada em 2009 — a fez conhecer melhor a realidade da pobreza e da fome. “A fome dói e as pessoas precisam saber que ela existe em Santa Cruz do Rio Pardo”, afirmou.

De acordo com a pastora, os líderes religiosos da cidade conhecem a fundo a situação dos mais carentes. “Aquilo que chega aos vereadores, por exemplo, também chega aos pastores. Hoje ainda há pessoas que não têm dinheiro para comprar um pão, um salgado”, disse. “Eu não cheguei a passar fome, mas minha família, que era pobre, enfrentou muitas dificuldades”.

Adriana da Cruz Piga é casada há 25 anos com Valmir Piga, filho do comerciante Primo Piga, um dos mais tradicionais de Santa Cruz do Rio Pardo. O casal tem dois filhos — Carol, 25, e Bruno, 18.

 

  • Publicado na edição impressa de 20 de setembro de 2020