Santa Casa de S. Cruz participa de retirada de órgãos para doações

Retirada dos órgãos foi feita no centro cirúrgico da Santa Casa de S. Cruz

Procedimento não é inédito em Santa Cruz, mas salva vidas

 

Sérgio Fleury Moraes
Da Reportagem Local

A Santa Casa de Misericórdia viveu na sexta-feira, 25, um dia histórico. Profissionais de Marília, integrantes da rede de doações, estiveram na cidade para a retirada de órgãos de um paciente que teve morte cerebral. A família autorizou a doação, que vai salvar outras vidas.

O paciente é um jovem de 25 anos, que teve parada cardíaca, foi reestimulado e depois teve morte cerebral. Ele enfrentava problemas de saúde há algum tempo, especialmente diabetes.

O médico Jonas Jovanolli Filho, diretor técnico da Santa Casa de Misericórdia

Segundo o médico Jonas Jovanolli Filho, não é a primeira vez que o hospital participa deste tipo de procedimento — que é delicado e envolve vários profissionais.

Na tarde de sexta-feira, Jonas informou que ainda não sabia quantos órgãos seriam retirados. “Eles ainda estão realizando o procedimento. Mas basicamente são os dois rins, o fígado — que é muito raro encontrar — coração e córneas.

O médico, que é diretor técnico da Santa Casa de Misericórdia, avalia que a retirada de órgãos no hospital de Santa Cruz do Rio Pardo provavelmente foi feita pela quarta vez.

“Toda vez que há um caso de morte cerebral, nós costumamos consultar a família para a doação dos órgãos. Neste caso, embora seja uma situação muito triste para os parentes, é um ato que vai salvar vidas”, disse Jonas Jovanolli. 

 

  • Publicado na edição impressa de 27 de setembro de 2020