Lourival agora declara empresa à Justiça

O vereador Lourival Pereira Heitor (SD), que busca a reeleição neste ano

Vereador omitiu Tec Rad em 2016; apesar de inquérito, ele ainda mantém contrato com o Poder Público

 

André Fleury Moraes
Da Reportagem Local

O vereador Lourival Heitor (SD) mudou de ideia e decidiu concorrer às eleições. Ele havia dito no ano passado que deixaria a política após desgastes envolvendo sua empresa, a “Tec Rad Serviços Técnicos Radiológicos”, que, neste ano, enfim foi declarada à Justiça Eleitoral. Em 2016, Lourival omitiu a empresa nas declarações.

Ele alegou que a omissão na declaração de 2016 “foi um erro”.

Apesar disso, o vereador ainda mantém um contrato de R$ 16.800 mensais com a Abedesc — empresa que gere a UPA — para o aluguel de equipamentos médicos. O contrato pode ser irregular, já que a Lei Orgânica de Santa Cruz do Rio Pardo proíbe que vereadores mantenham contrato com o Poder Público.

A Abedesc faz parte da administração indireta de Santa Cruz do Rio Pardo.

Os negócios de Lourival com a UPA são alvo de inquérito do Ministério Público. Em 2018, o órgão chegou a receber uma denúncia anônima sobre a incompatibilidade dos negócios de Lourival com entidades que recebem verba.

Em depoimento ao MP, o vereador disse que prestava serviços apenas a uma outra empresa como terceirizado. A representação acabou arquivada, mas o caso foi reaberto depois que o DEBATE trouxe novas informações sobre os contratos do vereador.

A “Tec Rad” foi contratada pela Abedesc no mesmo dia em que a entidade assumiu a UPA, em 2017. O MP também apura se Lourival foi beneficiado de alguma maneira pelo governo Otacílio Parras (PSB).

O caso chegou a ser levado para a Comissão de Ética da Câmara, que arquivou a denúncia.

Ao DEBATE, o vereador disse que ainda mantém os contratos porque não houve nenhuma decisão que determinasse o contrário. Afirmou também que o motivo de sua candidatura à reeleição se deve “à fidelidade ao partido”.

O vereador preside o Solidariedade no município, sigla de Edvaldo Godoy, candidato a vice-prefeito na chapa de Diego Singolani.

A Abedesc também mantém contrato com a empresa Pró-Vida Ocupacional, da qual o prefeito Otacílio Parras (PSB) é sócio, ao valor de R$ 250 mensais. 

 

  • Publicado na edição impressa de 4 de outubro de 2020