Beto Magnani: “O sonho”

HISTÓRIAS DO MAGÚ

O sonho

Beto Magnani
Da Equipe de Colaboradores

Uma explosão. A correria tomou conta da rua.

— Corre filha! Vamos ver o que aconteceu?

— Ah pai! A gente acabou de pedir.

— Deve sido um acidente!

— E eu lá quero ver acidente?!

— Levanta já e vamos!

— Deixa só eu acabar o Sonho pelo menos. Vai pagando no caixa que eu já vou.

— Mas então come logo. Larga este celular e come.

— Nossa. O Big Man pegou o vírus!

— Quem?

— O Trump!

— Tá brincando?

— É sério. Meu amigo acabou de mandar a mensagem. Tomara que morra!

— Que isso filha? Você não pode desejar a morte de alguém.

— E lá dá pra controlar isso?! Seria lindo!

— Deixa de besteira e termina o doce! Temos que ir antes que acabe!

— Como você sabe que foi um acidente? Acho que foi um transformador que explodiu. O barulho foi igual ao daquele dia.

— Não foi não. Teve uma brecada antes.

— Será que alguém se machucou?

— Pelo barulho, acho difícil que alguém tenha sobrevivido. Vai logo filha! A padaria toda já foi e a gente tá aqui ainda.

— Um bando de maluco igual a você. Não tô a fim de gente morta não!

— Só o presidente dos Estados Unidos?

— Quero é comer o meu Sonho sossegada. O resto que espere.

— A vida não espera!

— Vai lá e diz isso aos mortos! Vou ficar aqui.

— Já volto. Fui!

O pai levantou e saiu apressado. Deixou para pagar a conta na volta. Eu estava pagando a minha quando ouvi a conversa, não resisti. Fui também. (Magú)

  • Publicado na edição impressa de 4 de outubro de 2020
Sobre Sergio Fleury 5975 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate