Morre em SP, aos 78 anos, o santa-cruzense João Menon

João Menon nasceu em Santa Cruz, mas morava há décadas em São Paulo

Amante da leitura, João Menon chegou a escrever para o jornal

 

Sérgio Fleury Moraes
Da Reportagem Local

Morreu em São Paulo, aos 78 anos, o santa-cruzense João Menon, que durante alguns anos escreveu textos para o DEBATE. Ele nasceu em Santa Cruz do Rio Pardo, mas morava em São Paulo há muitos anos.

Filho de Gildo e Conceição Menon, João passou a infância e juventude em Santa Cruz até que, aprovado num concurso público, teve de trabalhar como servidor na capital. Como a mulher também trabalhava na capital, Menon fixou definitivamente residência em São Paulo.

Entretanto, visitava os parentes e amigos todos os anos em Santa Cruz. Ele ressaltava muito a união da família que, durante muitos anos, celebrava o final de ano com parentes de todos os cantos do País.

João Menon começou a ler ainda jovem e se tornou um leitor voraz de livros e jornais. Em sua casa, deixou um grande acervo literário.

O santa-cruzense, então, resolveu se enveredar pela literatura. Escreveu crônicas, “causos” e gostava muito de publicar pensamentos do dia nas redes sociais. Além disso, enviava pequenos textos aos seus contatos.

Ele foi casado durante 43 anos com Maria Enedir Manuchi Menon, que morreu em 2016. A viuvez o abateu. Há três anos descobriu um câncer no pulmão e morreu na quinta-feira, 8.

Segundo a irmã Eunice, João tinha planos de reunir suas crônicas e pensamentos num livro. No entanto, não teve tempo.

O corpo de João Menon foi sepultado em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo. A família anunciou que haverá uma missa de 7º dia na terça-feira, 13, às 19h, no Santuário Nossa Senhora de Fátima. 

 

  • Publicado na edição impressa de 11 de outubro de 2020