João Ferreira: ’16 anos depois’

16 anos depois

 

João Ferreira

Em 2004, a política de Santa Cruz do Rio Pardo foi transformada para sempre. Nas eleições daquele ano, Otacílio Parras e Adilson Mira protagonizaram uma disputa duríssima, com o início da “judicialização” das disputas alcançando a própria validade dos registros de candidatura.

A partir daquele ano, todas as eleições foram marcadas por embates duríssimos no campo jurídico, com impugnações (em sentido amplo) de candidatos em 2004, 2008 e 2012. Em 2016, a disputa foi menos tensa na seara legal, mas não foi despida de rancor por parte do eleito (Otacílio Parras) que, na posse da maioria da preferência da população, achou por bem assumir o ar provocativo do mau vencedor nos anos seguintes.

Durante 16 anos, a política de Santa Cruz teve a presença do atual alcaide nas disputas (indiretamente em 2020) e, apesar de tudo, a população sobreviveu ao tom sempre amargo do comportamento político de Otacílio Parras. Este azedume foi endereçado à imprensa, aos adversários políticos, para alguns prefeitos vizinhos, para o Secretário Estadual do Meio Ambiente (atual Ministro do Meio Ambiente) enfim, um desfile habitual de atraso, parafraseando o Ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal. Muita gente dobrou a espinha para Otacílio Parras e, quem não dobrou, pagou um preço por isso.

Curiosamente, os três candidatos ao Poder Executivo de 2020 mantiveram um padrão de cidadania totalmente diferente em relação aos últimos 16 anos marcados pela presença de Otacílio Parras.

Ainda que em segundo plano, Parras já fica mais distante do palco da vida pública (será?), considerando o pouco tempo de mandato que lhe resta. As eleições foram mais suaves. Os confrontos nos debates foram menos tensos. Há novos ares na política local, o que é um bom presságio. Os próximos quatro anos prometem ser mais pacíficos sem a presença direta (será?) do atual alcaide.

Resta esperar pelo próximo prefeito e torcer para que ele feche as portas de toda bílis, ódio, mau sentimento e mal secreto (conforme o Ministro Luís Roberto Barroso) que contaminam a política com a politicagem.

Ainda assim, se houver o ranço da velha política no próximo governo, haverá espinhas eretas para confrontar os espíritos amargos da política. Afinal, ainda há advogados e imprensa livre em Santa Cruz.

História
Depois de choro, ranger de dentes, renúncia, nojo e asco contra jornalista, urubus, entulho autoritário, ação de improbidade nas costas, demissão de secretários à noite, desavenças com prefeitos da região, aumento de impostos (muitos), aumento de salário (subsídio) de apaniguados, psicóloga querida “desempoderada”, fuga de sobrinho em carro oficial, interdição de aterro sanitário municipal, dentre outras coisas, o epitáfio do governo Otacílio Parras começa a ser desenhado com as eleições do dia 15/11/2020. Tudo isto ficará registrado para sempre nas páginas deste semanário. A história também será contada por aqui.

João Ferreira é advogado em Santa Cruz

 

  • Publicado na edição impressa de 13 de novembro de 2020