Projeto Primavera ‘planta’ biblioteca na ONG Acogelc de Santa Cruz

Marcelo Furtado, da Acogelc, e Vera Quagliato, do "Projeto Primavera", descerram placa da nova biblioteca

Entrega do novo espaço foi na sexta-feira, 20, “Dia da Consciência Negra”

 

Sérgio Fleury Moraes
Da Reportagem Local

Foi entregue no final da tarde de sexta-feira, 20, a sétima biblioteca do “Projeto Primavera” em Santa Cruz do Rio Pardo — a 27ª unidade em todo o País. Desta vez, a entidade beneficiada foi a ONG Acogelc, fundada em 2007 pelo professor Marcelo Furtado da Silva para difundir música e esporte, além de levar o conhecimento da cultura africana para crianças e adolescentes.

A sede da Acogelc, no bairro João Picin, foi revitalizada e um espaço foi utilizado para a nova biblioteca, que recebeu o nome de “Luiz Gonzaga Pinto da Gama”, uma homenagem ao jornalista negro, orador, escritor e patrono da abolição da escravatura no Brasil. Filho de mãe negra livre e pai branco, Gama foi feito escravo aos 10 anos e só começou a estudar aos 17, quando conquistou a liberdade na Justiça. Lutou pelo fim da escravidão e contra a monarquia, mas morreu antes de ver seus ideais concretizados.

Além do nome marcante em sua biblioteca, a Acogelc ganhou fotos enormes de personalidades negras que se destacaram no mundo e elementos da cultura afro. Na porta de entrada, uma frase simbolizou o Dia da Consciência Negra: “Não precisa ser negro para lutar contra o racismo; basta ser humano”.

IDEALIZADORA — Vera Quagliato, coordenadora do “Projeto Primavera”, discursa durante a entrega do espaço

A autora é a coordenadora do “Projeto Primavera”, Vera Quagliato, inspirada pelo professor de capoeira Marcelo “Furioso” Furtado, fundador da ONG. Os dois se conheceram por intermédio do universitário Matheus Gregório, que frequenta a Acogelc e considera Vera sua “madrinha”.

“Devemos tudo isto ao Marcelo, que tive o prazer de conhecer e está me ensinando muito sobre a igualdade. Afinal, não existe diferença entre negros e brancos e quem acaba distinguindo somos nós mesmos”, disse Vera Quagliato.

CULTURA —Marcelo Furtado, Vera Quagliato e o prefeito eleito Diego no descerramento da placa

Ela ressaltou que sentiu este preconceito até mesmo ao buscar livros para a nova biblioteca. “Não encontrava, é muito difícil uma literatura voltada para a comunidade negra”, disse. Por sorte, Vera bateu às portas da faculdade “Zumbi dos Palmares” e conseguiu uma expressiva doação.

Para Marcelo Furtado, Vera Quagliato “abraçou” a ideia de implantar a biblioteca na Acogelc. “Em meia hora de conversa, surgiu uma energia muito grande que culminou com a inauguração da biblioteca. Aliás, houve uma reforma total do prédio da entidade e isto é maravilhoso”, disse.

Alunos de percussão se apresentaram durante a solenidade

Segundo ele, a biblioteca vai fomentar a cultura entre os frequentadores. “A Acogelc tem um trabalho muito forte na militância do movimento negro. Entretanto, há uma dificuldade muito grande em obter este tipo de material e as palestras não surtem tanto efeito. Com a biblioteca, os jovens agora vão poder mergulhar nas histórias e cultura”, disse. Marcelo, por exemplo, já está lendo “Malcom X”, indicado por Vera.

A solenidade de entrega da nova biblioteca foi prestigiada pelo prefeito eleito Diego Singolani, pelo futuro vice-prefeito Edvaldo Godoy (SD), por secretários municipais, pelo vereador reeleito Cristiano Miranda (PSB), promotor Marcelo Saliba, professores e alunos.

A professora Noriko Izumi

Noriko Izumi, professora há 30 anos, comoveu os presentes ao relatar sua experiência na infância, quando se sentia discriminada por ser oriental. “Eu pedia a uma amiga para levar uma flor para a professora porque tinha vergonha”, lembrou.

Diego Singolani destacou a escolha da data, “Dia da Consciência Negra”, para a entrega da biblioteca. Frednes Botelho, secretário de Cultura, elogiou as iniciativas da Acogelc e seu fundador, Marcelo Furtado. “Ele é um guerreiro na divulgação da cultura genuína”, afirmou.

A entrega da nova biblioteca da Acogelc teve cerimônia restrita devido à pandemia

Um grupo de percussão da Acogelc, comandado pelo coordenador Lucas Matheus Trindade Santana, fez uma demonstração do “batuque” africano. “Nossa música mexe com as pessoas”, disse Marcelo Furtado, lembrando a visita do cantor Carlinhos Brown na escola Camões, há dois anos. “A gente tinha dois minutos para fazer uma apresentação, mas havíamos ensaiado para quinze. No entanto, assim que começamos, o Carlinhos desceu do palco e a apresentação durou muito mais”, contou.

Vera Quagliato criou a fundação “Projeto Primavera” em 2012, inspirada por um livro de John Wood, ex-funcionário da Microsoft. A história de vida do executivo que deixou a empresa para tentar, ao seu modo, mudar o mundo foi a fonte de inspiração de Vera para implantar bibliotecas pelo País.

O projeto já instalou novas bibliotecas em escolas — urbanas e rurais —, creches, asilos, centros culturais e hospitais em vários Estados. O objetivo é beneficiar prioritariamente comunidades carentes. 

 

Veja mais fotos da entrega da biblioteca “Luiz Gama”

  • Publicado na edição impressa de 22 de novembro de 2020