Prefeito de Santa Cruz prevê parceria entre saúde e educação na gestão

O prefeito Diego Singolani (PSD) (Foto: André Fleury)

Mas Diego Singolani também anunciou que vai fomentar o potencial turístico de Santa Cruz do Rio Pardo

Diego Singolani (PSD) não teve problemas para a transição de governo, já que o ex-prefeito Otacílio Parras (PSB), seu “padrinho” político, abriu as portas da prefeitura para o eleito. No início da semana, ele apostava que Otacílio deverá deixar em caixa mais do que os R$ 10 milhões anunciados antes das eleições de novembro. O ex-prefeito disse que deixou R$ 17 milhões livres.

O prefeito anunciou como primeira medida, que coincide com o início do ano letivo, uma parceria fixa entre Saúde e Educação. Ele já se reuniu com os secretários Anelise Leitão (Saúde) e Marco Marteline (Educação) para traçar os moldes desta parceria.

O foco maior da nova administração, que é fomentar o potencial turístico do município, por enquanto esbarra na pandemia do coronavírus. Mas Diego quer preparar a estrutura para quando a crise sanitária terminar. Para tanto, fará investimentos no entorno do rio Pardo, especialmente no Clube Náutico — que foi desapropriado pelo município — e no futuro Parque Ecológico.

Na Educação, o novo prefeito quer implantar novos cursos profissionalizantes, além de ampliar os existentes. Diego também quer viabilizar a “Fundação Municipal de Ensino Celso Fleury Moraes”, que será financiada pelo município para oferecer cursos superiores. Ele vai retomar as negociações com o “Centro Paula Souza” para a construção do prédio próprio da Etec “Orlando Quagliato” em Santa Cruz, além de não descartar a ampliação do transporte universitário, que é oferecido gratuitamente.

Diego tem planos ambiciosos para a indústria, com projetos para ampliar o Distrito Industrial, que ainda possui capacidade para abrigar novas empresas. Outro objetivo é fomentar o comércio e a indústria, por exemplo criando programas para o primeiro emprego.

Alguns setores devem se destacar mais já no início da administração, até por terem atuação apagada no governo de Otacílio Parras. Um deles é o Esporte, que ficou praticamente paralisado nos últimos anos. Diego apostou no vereador eleito Adriano Campanha para comandar a pasta, já que ele tem experiência no setor.

O novo prefeito também garante que a transparência administrativa, outra falha de Otacílio Parras, será uma das marcas de seu governo. A novidade é que ele pretende estender a transparência para dentro do próprio governo, através da modernização da comunicação interna. Segundo ele, este projeto deve aproximar o servidor público do gabinete do prefeito. “Eu não consigo falar com todos”, justificou.

Diego Singolani ainda quer apressar a regularização de antigos loteamentos considerados clandestinos, fomentar as parcerias público-privadas, negociar mais casas populares com o governo do Estado e valorizar atletas e artistas locais.

Enfim, o novo gestor já anunciou que pretende ser “o melhor prefeito da história de Santa Cruz”, um objetivo que pode ser alcançado dependendo das circunstâncias. Uma delas é que Otacílio Parras não faça “sombra” à nova administração. Afinal, isto aconteceu com a prefeita Maura Macieirinha (2009-2012), que teve durante anos o ex-prefeito Adilson Mira “rodeando” seu governo, não encontrou sua característica pessoal e acabou perdendo as eleições.


Como secretário de Saúde e agora como prefeito de Santa Cruz, a mudança em poucos anos

De ex-‘office boy’ adolescente da Santa
Casa a prefeito mais jovem da cidade

Diego Henrique Singolani Costa é o mais jovem prefeito da história de Santa Cruz do Rio Pardo. No feriado de 1º de janeiro ele cumpriu uma agenda diferente, que jamais fez nos 32 anos de vida. Às 11h, tomou posse como chefe do Executivo e vai governar Santa Cruz do Rio Pardo pelos próximos quatro anos. Foi a terceira vez na vida que ele vestiu um terno.

Diego venceu as eleições de novembro com 64% dos votos, quantia muito superior à soma dos dois outros candidatos e ainda os votos brancos e nulos. Além disso, seu grupo conquistou a maioria das cadeiras na Câmara.

O ex-prefeito Otacílio foi quem lançou a candidatura de Diego Singolani, mais de um ano antes das eleições. O nome do secretário de Saúde começou a ser ventilado como candidato já em 2018, mas somente em agosto do ano seguinte ele foi confirmado pelo prefeito.

Otacílio fez um lançamento às avessas, já que o vice, Edvaldo Godoy (SD), foi anunciado bem antes, em março. Na época, Edvaldo havia deixado o bloco de oposição e foi declarado candidato a vice mesmo sem saber quem seria o titular da chapa. Pelo menos era o que todos do grupo governista diziam publicamente.

Era óbvio, porém, que Diego Singolani seria o escolhido. Secretário de Saúde do município durante mais de seis anos, ele obteve bons resultados numa pasta considerada uma das mais vulneráveis de qualquer governo. Foi em sua gestão que Santa Cruz ganhou o “Centro de Saúde da Mulher”, construído no prédio da antiga maternidade, e melhorou os índices do setor.

Mas a trajetória de Diego Singolani até chegar ao cargo de prefeito não foi fácil. Filho dos comerciantes José Francisco Bezerra Costa e Marilsa Fátima Singolani Costa, estudou em escolas públicas antes de chegar à universidade. Foi aluno da EMEI “Pingo de Gente” e das escolas “Sinharinha Camarinha“ e “Leônidas do Amaral Vieira”. Separado, ele já anunciou que a mãe, Marilsa, será a presidente do Fundo Social de Solidariedade, um cargo sem remuneração e geralmente destinado às primeiras-damas.

O novo prefeito começou a trabalhar ainda adolescente no comércio da família. Quando completou 16 anos e ainda cursava o Ensino Médio, ganhou um emprego na Santa Casa de Misericórdia, marcando definitivamente sua preferência pelo setor da Saúde. Os pais sempre lutaram com dificuldades no comércio da cidade.

Diego ficou dez anos na Santa Casa de Santa Cruz do Rio Pardo. No período, cursou Administração Hospitalar nas Faculdades Integradas de Ourinhos (FIO) e depois a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. De quebra, ainda foi atirador do TG e educador universitário do “Programa da Família” na escola “Tomaz Ortega Garcia”.

Em meados de 2014, Diego foi escolhido por Otacílio Parras para ser o secretário municipal de Saúde. Entre o secretariado, foi o que mais se destacou, a ponto de se credenciar como candidato a prefeito e vencer, com folga, as eleições deste ano.

Diego possui personalidade diferente do prefeito que deixa o cargo. É considerado — e se considera — afável, educado e voltado para o diálogo. Não é à toa que o clima na administração já mudou nas primeiras reuniões convocadas por Diego antes mesmo de assumir o cargo.

  • Publicado na edição impressa de 1º de janeiro de 2021
Sobre Sergio Fleury 6061 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate