Ellen Manfrim: ‘Contente-se!’

Contente-se!

 

Ellen Manfrim *

Hoje me perguntaram se sou feliz. Respondi prontamente que sim. E a próxima pergunta foi: “quantos por cento você é feliz?”. Não soube responder. Nunca pensei na felicidade como uma porcentagem. Entendo a felicidade como um estado de calmaria, tranquilidade, no qual as preocupações não roubam nosso sono ou nossos ideais.

Mas essa conversa rendeu mais reflexões. E é por isso que eu amo pessoas inteligentes, instigantes, desafiadoras. Sinto-me motivada perto de seres humanos assim. Ela logo me disse: “felicidade é contentamento”. Fiquei pensando sobre isso. No primeiro momento, me veio a ideia de comodismo. Mas estava errada.

A palavra ‘contentamento” significa “Ato ou efeito de se contentar”, ou melhor, contentamento é a satisfação das exigências de si próprio ou de alguém, é tornar-se contente e com isso ficar tranquilo, apaziguar e acalmar o coração.

Quantas vezes nos perguntamos se estamos suficientemente satisfeitos com o que somos, com o que temos e com os que estão ao nosso redor? Raramente nos indagamos, e sempre desejamos algo além: um carro novo, ganhar mais, um novo relacionamento, a cura de uma doença, um cabelo mais sedoso e brilhante. São tantas insatisfações, tantas inseguranças, tantos descontentamentos, e nem percebemos.

Se buscarmos a perfeição para encontrar a felicidade, jamais a encontraremos. Precisamos aprender a viver o hoje, a ser gratos pelo que nos tornamos e pelas pessoas que estão ao nosso redor. Isso não significa que devemos abandonar nossos sonhos, mas sim que precisamos ter calma e acreditar em nós mesmos. Cada um de nós tem características e qualidades únicas, não compare a sua vida e os seus sonhos com os de outra pessoa, deixe de lado a ganância e a inveja. Você é um ser humano único, e com seu próprio esforço chegará onde planeja.

Até atingir seu objetivo, seja satisfeito e grato a tudo o que tem, a tudo o que é, e a todos os que estão ao seu redor. Como disse Frederick Keonig, “Tendemos a esquecer que a felicidade não vem como resultado de obter algo que não temos, mas sim de reconhecer e valorizar o que temos.” .

Então, queridos leitores, lembrem-se que o contentamento é a verdadeira felicidade! Feliz 2021!

 

Ellen Manfrim é neuropediatra em Santa Cruz do Rio Pardo

 

  • Publicado na edição impressa de 1º de janeiro de 2021