Bernardino fecha prefeitura por surto de covid; Ipaussu suspende bares e ‘aperta’ o comércio

Porta principal da prefeitura de Bernardino com o aviso de fechamento

Em Bernardino de Campos, o vice-prefeito está internado e há dez funcionários contaminados, dos quais sete estão internados

 

A região começou a adotar medidas drásticas contra a covid-19, cujo índice de contágio cresce em número assustador. Ourinhos e Santa Cruz do Rio Pardo anunciaram o fechamento do comércio em geral durante uma período mínimo de dez dias.

Em Ipaussu, o prefeito Sergio Guidio (PSDB) publicou um decreto na noite desta terça-feira, 12, determinando o fechamento dos bares e lojas de conveniência da cidade. O comércio em geral – assim como atividades de academia, salões de beleza e clínicas de estéteica – poderão funcionar de segunda a sábado em horários variáveis de acordo com o setor. As lojas vão fechar às 18h, enquanto academias terão jornadas contínuas ou fracionadas de até oito horas diárias, com capacidade reduzida para 40% do público.

Sérgio Guidio anunciou fechamento de bares em Ipaussu e restrições para o comércio

O consumo de bebidas alcoólicas não está apenas proibido presencialmente nos estabelecimentos, mas também em chácaras alugadas, piscinas ou locais dedicados à realização de eventos.

A prática de esporte coletivo também está suspensa em todo o município. Só poderão funcionar normalmente os serviços essenciais que são definidos pelo Plano São Paulo do governo estadual.

O prefeito Sérgio Guidio disse no início da noite que vai intensificar a fiscalização em todo o município. Segundo ele, o isolamento é a única forma de estancar os altos níveis da covid em toda a região.

Em Bernardino de Campos, o prefeito Wilson Garcia determinou o fechamento do prédio da prefeitura depois que pelo menos 10 funcionários contraíram a covid-19.

Wilson Garcia (à esquerda) vai fazer exames, enquanto o vice está internado

O vice-prefeito Adevanil Pereira está internado. O titular anunciou que também vai fazer o teste.

Segundo informações, entre os outros contaminados estão o chefe de gabinete, secretários, engenheiros e outros. Bernardino de Campos tinha hoje 17 internados em sua Santa Casa de Misericórdia, enquanto o limite da capacidade é de apenas nove.

 

Leia mais no DEBATE deste domingo
(* Edição antecipada para sábado, 16)

Sobre Sergio Fleury 6069 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate