ESPORTE

Pai de Neymar Júnior quer levar filho para conhecer vila Belmiro

Garoto de oito anos, torcedor fanático do Santos, também é sobrinho de Juary

Pai de Neymar Júnior quer levar filho para conhecer vila Belmiro

Neymar, com a certidão de nascimento; atrás, o tio Juary, a irmã Ana Beatriz e os pais Júnior e Ana Paula

Publicado em: 18 de dezembro de 2021 às 01:50
Atualizado em: 30 de dezembro de 2021 às 01:03

Sérgio Fleury Moraes

Já imaginou se Neymar Júnior nunca tivesse sequer pisado na vila Belmiro? Claro que o atual jogador do PSG da França conhece como a palma da mão o gramado do estádio “Urbano Caldeira”, do Santos Futebol Clube, onde conquistou tantos títulos para encanto da torcida santista. Porém, um outro Neymar, de apenas oito anos e que mora a mais de 400 quilômetros da cidade litorânea, nunca entrou num dos estádios mais famosos do mundo. E nem o pai, que sonha em realizar o desejo seu e do filho, torcedores do alvinegro praiano.

O garoto é o santa-cruzense Neymar Júnior dos Santos de Souza, que neste domingo completa nove anos de idade. O “Júnior”, curiosamente, vem do pai e é nome próprio, ao contrário do que normalmente acontece quando o batismo repete o mesmo nome do pai.

A história de pai e filho começou de forma curiosa. Júnior Ferreira de Souza, funcionário da autarquia Codesan, é filho de Jervásio Francisco de Souza, um santista “roxo” que morreu há três anos. Ele insistiu em colocar o nome num dos sete filhos de “Júnior” porque era fã de um meia-direita do Santos revelado nos anos 1980.  O jogador era Irineu Parmigiani Júnior, que também jogou no Palmeiras a partir de 1987 e era conhecido pelo último nome.

O mais surpreendente é que Júnior se parece muito com o pai do jogador Neymar. Na semana passada, por exemplo, ele mandou uma mensagem ao programa esportivo da rádio 104 FM se identificando como “pai do Neymar”. O locutor Diego Singolani riu, mas se surpreendeu um minuto depois quando o ouvinte enviou sua foto pelo whatsapp. “Pô, ele se parece mesmo com o pai do jogador”, exclamou.

E depois Júnior explicou em outra mensagem: era mesmo o pai de Neymar, o garoto de oito anos que sonha em jogar no Santos.

Neymar completa nove anos neste domingo e sonha com o Santos

Morador do Parque das Nações, Júnior se tornou santista graças à influência do pai. “Era de arrepiar, ele contagiava a todos da família”, lembra. Não por acaso, até as filhas mulheres são torcedoras do Santos de Pelé ou, como preferem dizer, do Santos de Neymar.

O pequeno Neymar nasceu em 2012, ano em que seu homônimo brilhava no Santos e conquistava o vigésimo Campeonato Paulista e a primeira Recopa Sul-Americana numa disputa contra a equipe do Universidad de Chile, após ter sido o campeão da Copa Libertadores no ano anterior. O centroavante deu ao Santos inúmeros títulos e, seis meses após o nascimento de seu “chará” em Santa Cruz do Rio Pardo, partiu para a Europa para brilhar no Barcelona e, depois, no Paris Saint-Germain.

No final de ano daquele 2012 o registro civil de Neymar não foi tão fácil. “A mulher que me atendeu não queria registrar meu filho com aquele nome e eu precisei insistir. Ela só aceitou depois de conversar com o responsável do cartório”, contou. Provavelmente o problema não era o primeiro nome, já que Neymar é comum antes mesmo de ficar famoso com o jogador do Santos. Mas o garoto Neymar tem o “Júnior” em seguida, que no pai é nome próprio e não um complemento.

A mulher é corintiana, mas o marido Júnior, além de santista “roxo”, é um sósia do pai de Neymar do PSG

Não demorou muito para o menino virar o mais novo torcedor santista da família. “Claro que não teve nenhuma influência do pai”, brinca Júnior, rindo. Aliás, o funcionário da Codesan lembra que o filho caçula seguiu não apenas a paixão pelo time, mas o gosto pelo futebol. “Eu jogo bola há muitos anos. Já disputei o amador pelo Fluminense e hoje disputo um torneio cinquentinha em Jacarezinho”, contou.

Júnior foi o artilheiro do campeonato amador de Santa Cruz do Rio Pardo em 2002, coincidentemente o mesmo ano em que o Santos de Robinho e Diego foi campeão brasileiro ao vencer o Corinthians em dois confrontos memoráveis.

Neymar Júnior é aluno da escolinha de futebol do CAS — Clube Atlético Santacruzense — desde os seis anos. Orgulhoso, Júnior mostra um vídeo do filho driblando três jogadores e chutando para o gol. “Ele tem tudo para ser craque. Se Deus quiser, ainda vamos ver o nome Neymar de novo dando alegrias para o Santos”, afirma.

Antes, porém, há o sonho de conhecer a Vila Belmiro, palco de grandes conquistas do alvinegro santista. “É um desejo antigo meu, e hoje também do meu filho. Queria conhecer aquele estádio histórico, ver os troféus do time, as imagens antigas e tudo o mais. Quem sabe um dia vou poder proporcionar isto ao Neymar”, disse.

A história dos filhos do saudoso Jervásio tem ainda outras curiosidades. Dos sete filhos, dois são homens. E não é que o irmão de Júnior também foi batizado em homenagem a um jogador do Santos? É Juary, um ano mais velho, que recebeu o nome do atacante que foi um dos grandes destaques da primeira geração dos “Meninos da Vila”, o inesquecível time campeão paulista de 1978.

Atacante santista Juary, em 1978

Aos 41 anos, Juary Ferreira de Souza ainda joga bola em “peladas” com amigos, mas não se considera um bom jogador. “Eu gosto de brincar, mas garanto que o Juary do Santos de 1978 foi o verdadeiro craque”, brinca.

O tio de Neymar disse que sabia desde a infância que tinha o nome em homenagem a um famoso atacante do Santos. “Eu aprendi com meu pai a torcer com o coração, mas sem brigar. Afinal, a gente precisa levar o futebol na esportiva”, disse. “Mas eu costumo dizer aos amigos que sou tio do Neymar e eles se assustam”, afirmou o funcionário da empresa Santa Massa.

Ana Beatriz, 10, irmã de Neymar e outra santista “roxa”, conta que o pai Júnior queria batizá-la com o nome de uma jogadora que brilhou na equipe feminina do Santos, nada menos do que a atacante Marta. “Mas minha mãe não deixou. E ficou Ana Beatriz”, disse.

A mãe, por sinal, é uma espécie de “ovelha negra” da família de Júnior em se tratando de futebol. Afinal, Ana Paula dos Santos, 31, conta, meio constrangida, que é corintiana. Para a entrevista, ela vestiu uma camisa do Santos, mas providenciou outra do Corinthians por baixo do “manto” alvinegro. “Eu me acostumei com todo mundo torcendo pelo Santos. Isto acontece até na minha família, por parte da minha mãe, com irmãos santistas”, disse.

Ana Paula e Júnior não brigam por causa do futebol. “Nós assistimos aos jogos juntos e só ficamos um pouco mais nervosos quando a partida é entre Santos e Corinthians”, conta o marido. Na residência do casal, por exemplo, há um quadro do Santos e Ana Paula “proibiu” Júnior de pendurar outra relíquia do campeão santista. Por outro lado, não há nada que lembre o Corinthians, já que Ana Paula está em minoria.

Alheio às brincadeiras do pai e do tio, o garoto Neymar diz que, ao contrário do seu “chará” do PSG, prefere jogar na lateral esquerda. “Mas eu também gosto de driblar e fazer gols”, completa Neymar, aluno da escola “Frei José Maria Lorenzetti” do Parque das Nações. O garoto tem dois sonhos: um deles é conhecer o “templo sagrado” da Vila Belmiro. “O outro é jogar no Santos”, diz, enquanto ajeita o uniforme e corre para o treino no campo do CAS. 

 

* Colaborou Toko Degaspari

PUBLICIDADE

SANTA CRUZ DO RIO PARDO

Previsão do tempo para: Quinta

Períodos nublados
25ºC máx
11ºC min

Durante todo o dia Céu limpo

COMPRA

R$ 5,25

VENDA

R$ 5,25

MÁXIMO

R$ 5,26

MÍNIMO

R$ 5,25

COMPRA

R$ 5,09

VENDA

R$ 5,41

MÁXIMO

R$ 5,25

MÍNIMO

R$ 5,25

COMPRA

R$ 5,50

VENDA

R$ 5,50

MÁXIMO

R$ 5,51

MÍNIMO

R$ 5,50

PUBLICIDADE

voltar ao topo

Voltar ao topo