GERAL

Santa Cruz completa 15 dias sem internações causadas pela Covid-19

Vacinação avança e 72% da população maior de 12 anos já tomou a segunda dose; 99%, a primeira

Santa Cruz completa 15 dias sem internações causadas pela Covid-19

Agentes da Saúde durante vacinação quando o procedimento ainda era feito via drive-thru em frente à secretaria de Saúde, em foto de março de 2021

Publicado em: 16 de outubro de 2021 às 04:25
Atualizado em: 16 de outubro de 2021 às 04:25

Sérgio Fleury Moraes

“Mal dá para acreditar por tudo o que passamos”. A frase de alívio da enfermeira Ana Carolina Mariano, coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Santa Cruz do Rio Pardo, só pôde ser pronunciada mais de um ano e meio depois do começo da pandemia em Santa Cruz do Rio Pardo. Afinal, depois de meses de pânico, luto e angústia, a cidade começa literalmente a respirar com a queda vertiginosa dos casos.

A última morte por covid-19 ocorreu no dia 1º de setembro, portanto há 47 dias, praticamente estacionando em 179 óbitos. A Santa Casa de Misericórdia de Santa Cruz do Rio Pardo teve sua última internação no dia 1º de outubro e não há registros de pacientes internados desde o dia 6 deste mês.

Para uma cidade que viveu um período perturbador, com mortes praticamente todos os dias e dezenas de pacientes hospitalizados, o novo quadro é um alento. No entanto, a enfermeira Carol Mariano alerta que a pandemia, embora sob controle, ainda não acabou e que todas as medidas sanitárias devem ser mantidas até que o vírus desapareça.

A coordenadora da Vigilância Epidemiológica disse que o setor de Saúde do município agora se volta para convencer os “faltosos” a tomar a segunda dose da vacina. Segundo ela, o fato preocupa porque somente as duas doses significam a imunização completa. “Precisamos da colaboração da imprensa, pois o número de pessoas que não tomaram a segunda dose é muito grande. Muitos se esquecem, enquanto outros não dão a devida importância neste momento de estabilidade da pandemia”, explicou.

Para exemplificar, Carol Mariano disse que as três últimas internações na Santa Casa, praticamente no mês passado, foram de dois homens bem idosos, um deles com mais de 90 anos, e um jovem que só havia tomado a primeira dose. Todos receberam alta. “É visível que a vacinação, principalmente as duas doses, reduziu muito o número de pacientes“, afirmou.

A enfermeira nem pensa no retorno da situação assustadora e caótica que Santa Cruz do Rio Pardo viveu durante mais de um ano e meio. No dia 8 de abril, por exemplo, a Santa Casa de Misericórdia chegou a ter 58 pessoas internadas, das quais 13 estavam intubadas na UTI. De acordo com o município, foi o triste recorde da pandemia na cidade, quando o hospital chegou a declarar situação de colapso.

A estabilidade só não chegou antes porque as vacinas no Brasil atrasaram. Em Santa Cruz do Rio Pardo, a vacinação começou no final de janeiro deste ano, mas contemplou primeiramente grupos prioritários, como o de profissionais da saúde. O médico Jonas Jovanolli foi o primeiro a ser imunizado, mas vários meses se passaram até que as faixas etárias mais numerosas começassem a ser atingidas pela vacinação. A segunda dose, por exemplo, começou a ser aplicada no meio do ano.

Hoje, o quadro é de queda absoluta. Os casos positivos diários são poucos. Há uma semana, por exemplo, de oito exames encaminhados ao Instituto Adolf Lutz, todos foram negativos. Há uma tendência de aumento nos próximos dias por conta do feriado prolongado da semana passada, mas não já existe mais aquela preocupação da fase crítica da pandemia. Do último domingo até quinta-feira, 14, foram detectados dois casos positivos na segunda-feira, quatro na quarta-feira e mais um na quinta. Nenhum deles necessitou de internação.

O prefeito Diego Singolani (PSD) apostou na vacinação desde que as primeiras doses chegaram a Santa Cruz do Rio Pardo. Ele e a equipe de Saúde montaram uma estrutura que possibilitou a imunização rápida das pessoas, inclusive no sistema ‘drive-thru’, num esforço que envolveu enfermeiras, agentes de saúde e até técnicos de trânsito.

De acordo com dados divulgados até sexta-feira, 15, o índice de vacinação da primeira dose em Santa Cruz em pessoas maiores de 12 anos atingiu 101% da população estimada pelo IBGE. Este número se explica pelo fato de pessoas em trânsito serem vacinadas ou mesmo que a população do município seja maior do que a registrada pelo censo do IBGE.

Já a segunda dose foi aplicada em 72% dos moradores de Santa Cruz do Rio Pardo maiores de 12 anos. Nos próximos dias começa a aplicação da segunda dose em adolescentes com comorbidade e de duas faixas etárias da vacina AstraZeneca.

Entre os adolescentes, já foram vacinados aqueles de 12 anos ou mais. A secretaria já está imunizando com a terceira dose – chamada de “reforço” – profissionais de saúde e pessoas acima de 60 anos que tomaram a segunda há mais de seis meses.

PUBLICIDADE

SANTA CRUZ DO RIO PARDO

Previsão do tempo para: Terça

Períodos nublados com chuva fraca
28ºC máx
17ºC min

Durante todo o dia Céu encoberto

COMPRA

R$ 5,61

VENDA

R$ 5,61

MÁXIMO

R$ 5,61

MÍNIMO

R$ 5,61

COMPRA

R$ 5,59

VENDA

R$ 5,92

MÁXIMO

R$ 5,76

MÍNIMO

R$ 5,76

COMPRA

R$ 6,33

VENDA

R$ 6,33

MÁXIMO

R$ 6,33

MÍNIMO

R$ 6,32

PUBLICIDADE

voltar ao topo

Voltar ao topo