GERAL

Vítima da covid, Fernando Cavezale trocou o jornalismo pela propaganda e assessoria

Jornalista de 58 anos foi sepultado neste domingo em Ourinhos

Vítima da covid, Fernando Cavezale trocou o jornalismo pela propaganda e assessoria

O jornalista e publicitário Fernando Cavezale, que morreu neste domingo

Publicado em: 06 de junho de 2021 às 20:04
Atualizado em: 06 de junho de 2021 às 20:26

O jornalista Fernando Henrique Mella Ribeiro, que adotou o sobrenome artístico “Cavezale” há muitos anos, morreu na manhã deste domingo aos 58 anos. Ele estava internado no hospital de Jaú, para onde foi transferido após seu estado de saúde ter piorado na Santa Casa de Ourinhos. Intubado nos últimos dias, Fernando foi diagnosticado com a covid-19 há pouco mais de duas semanas.

Formado em Jornalismo pela Unesp de Bauru, na verdade Fernando Cavezale era músico e se apresentou durante muitos anos em bares e casas noturnas de toda a região. Ele costumava dizer que em todas as áreas em que atuava havia “o fio condutor” da arte e da criatividade. Jamais abandonou a música.

Em 1991, foi o vencedor do concurso que escolheu o hino da cidade de Ourinhos. Nos bastidores do evento, porém, correligionários do então prefeito Clóvis Chiaradia pressionaram para que Fernando não fosse declarado vencedor, já que fazia oposição à administração. Foi o próprio prefeito, porém, que bancou o resultado ao afirmar que o talento não tinha cor política.

Mais tarde, com os custos bancados pela administração, o hino teve arranjos de Nelson Ayres, César Camargo Mariano e Gil Jardim.

Cavezale, em foto com o cantor e compositor Chico Buarque de Hollanda

Como jornalista, Fernando Cavezale fundou e dirigiu durante algum tempo a revista “Front”, uma das primeiras a serem editadas na região. Uma de suas façanhas foi uma entrevista com o famoso “príncipe”, um sujeito que apareceu em Ourinhos dizendo-se descendente da família imperial Orleans e Bragança. Somente depois de ser homenageado por autoridades e dar até aula inaugural na FIO, o golpista foi descoberto. A entrevista foi feita na cadeia pública de Ourinhos.

Nos anos 1990, Fernando Cavezale foi editor do extinto “Jornal da Divisa”, praticamente sua última participação no jornalismo. É que, logo em seguida, ele abriu uma agência de publicidade, a “CVZL Propaganda” (cujo primeiro nome foi “Cavezale Propaganda”), também sendo o pioneiro no setor.

Em 2020, pré-candidato a prefeito

Fernando ainda foi professor universitário e chegou a se aventurar na política. Foi o fundador do Partido Verde (PV) em Ourinhos e trabalhou em diversas campanhas de Claury Santos Alves da Silva, de quem foi assessor de imprensa a partir de 1993. Quando o pai do atual prefeito de Ourinhos foi eleito deputado estadual, entre 1999 e 2002, Fernando virou assessor legislativo. Anos mais tarde, rompeu com o grupo.

Como publicitário, Cavezale também trabalhou como profissional em diversas campanhas eleitorais e era reconhecidamente hábil para criar “jingles” eleitorais. Morou algum tempo em Bauru, onde criou campanhas publicitárias para a Tomas Propaganda. Cavezale também se aventurou como músico no Rio de Janeiro.

Foi secretário de Cultura no governo de Belkis Fernandes (PMDB), permanecendo no cargo até meados de 2016.

Fernando Cavezale ainda disputou duas eleições para vereador, em 1996 e 2016. Na última, embora sua legenda fosse o PMDB, ele apoiou e fez a campanha do candidato Mário Ferreira (PT). Fernando obteve 382 votos e ficou na suplência. Em 2017, atuou como assessor do deputado federal Capitão Augusto Rosa (PL).

Em 2020, na véspera das convenções partidárias, Fernando Cavezale foi lançado como pré-candidato a prefeito pelo PTB, mas não teve seu nome homologado. O motivo foi um “acordão” das oposições em torno do candidato Professor Robson Sanches (Patriota), que foi derrotado pelo prefeito reeleito Lucas Pocay (PSD). Desistiu de disputar a convenção e apoiou a chapa de Roberta Stopa, do coletivo petista “Enfrente”, para a Câmara Municipal.

Fernando Cavezale foi músico e compositor, autor do hino da cidade de Ourinhos

Fernando Henrique Mella Ribeiro “Cavezale” foi sepultado no cemitério de Ourinhos na tarde deste domingo, 6. Como não houve velório, ele foi homenageado num cortejo que saiu da funerária Ourinhos em direção ao cemitério, ao som do hino da cidade.

O jornalista deixa a mulher Elaine e os filhos Isabela, Ananda, Vitor, Guilherme, Clareana e Theo.

Fernando Cavezale e a mulher, Elaine Geraldo, durante evento festivo

 

PUBLICIDADE

SANTA CRUZ DO RIO PARDO

Previsão do tempo para: Quinta

Períodos nublados
22ºC máx
12ºC min

Durante todo o dia Céu limpo

COMPRA

R$ 5,05

VENDA

R$ 5,06

MÁXIMO

R$ 5,06

MÍNIMO

R$ 5,06

COMPRA

R$ 5,29

VENDA

R$ 5,62

MÁXIMO

R$ 5,46

MÍNIMO

R$ 5,46

COMPRA

R$ 6,07

VENDA

R$ 6,07

MÁXIMO

R$ 6,07

MÍNIMO

R$ 6,06

PUBLICIDADE

voltar ao topo

Voltar ao topo