Cartas – Edição de 08/10/2017

Muvucas, maçocas e contraditórios

Argumentou o segundo que a árvore, indevidamente cortada e sem um laudo concreto de vistoria, foi abatida e seu coto ridículo está exposto à execração pública há quase dez dias. Disse-me mais, o segundo, que outras árvores serão abatidas, pois estão prejudicando o muro da divisa da praça João Eugenio Ferreira (apelidada de “Expedicionários”) com a tradicional escola “Leônidas do Amaral Vieira”.
As árvores são cinquentenárias, plantadas por Boanerges Ambrosio de Brito, um dos grandes incentivadores do progresso ecológico santacruzense.
Pergunto agora, senhor secretário: não seria melhor derrubar e afastar o muro da divisa de duas instituições publicas, que, em prazo restrito, será refeito? As novas árvores, se forem plantadas, demorarão mais de cinquenta anos para novamente chegarem na posição de hoje.
Amarelo, vermelho, branco e “pintados” — Sou um dos primeiros, ou melhor, o primeiro leitor do DEBATE de domingo, cujos exemplares chega de Bauru, onde são impressos, lá pelas 3h da madrugada. Ali estaciono meu carro, aguardando a chegada ou para receber os dois exemplares do DEBATE.
Fui dia desses, alertado por um funcionário do jornal, que não mais parasse ali, pois a “descultura” da pintura de faixas que, ao redor de toda empresa jornalística DEBATE, estava bloqueada para estacionamento por uma faixa amarela, que impede o estacionamento de veículos numa empresa comercial.
Onde estão baseados a legalidade de tal ato?
Como assíduo escriba do DEBATE, e também seu leitor, percebo “as desavenças entre prefeito e o diretor do jornal”. Não tenho nada com isso, com as “picuinhas” entre os protagonistas dessas desavenças. Só quero o legítimo direito de cidadão de poder estacionar numa rua de mão única pela esquerda. Poderia o artífice do trânsito “pintar” faixa amarela pela direita que abrange um órgão publico.
Também um pequeno comerciante, vendedor de produtos de limpeza no cruzamento da rua José Cid com a Major Gabriel Botelho, também foi aviltado pela mesma “desregra” do ilícito.
Também por uma desfeita e picuinha do responsável pela pintura de faixas, no cruzamento da rua com o nome do heróico Simão Cabral que, por um ato legislativo, deu nova nomenclatura à rua Porto Alegre.
O feito foi realizado pelo prefeito Lucio Casanova Neto, em 1956. Será que o pintor de faixas sabe disso? Será que sabe, também, que a avenida confrontante tem o nome do ilustre Coronel Clementino Gonçalves, também marido da ilustre Maria Perpétua Piedade Gonçalves, ambos, marido e mulher, da vizinha Espírito Santo do Turvo? Será que o pintor de faixas conhece essa historia verídica?
Secretária e secretario do bem-estar social — Razo as informações interiores, as ratifico todas e acrescento o cunho da mentira. O livro raro sobre o autismo, doei-lhe no dia 5 de maio de 2016. Até hoje, você não veio buscá-lo.
Mais não acrescento, a pedido do ilustre Claudio Gimenez da Codesan, em respeito à deficiência de seus dois filhos. Entretanto, vou transcrever, aqui, o que escrevi para você em maio de 2016, que, como mãe, você não se interessou.
“Os desígnios de Deus, não são de todos compreensíveis. Como filho dele, tento ajudá-las a compreendê-los. Coragem e fé a quem participa deles, como você. Do amigo Jose Eduardo, 05/16.”
Isto escrevi como dedicatória no livro Autismo, publicada pela Larousse de autoria de Roy Richard Grinker. Veja, pela dedicatória, que não disse que iria levá-lo até você.
Por que razões a mãe Eliana não se interessou por um livro que trata das mazelas de seus filhos, só você pode responder. Agradeça a Claudio Gimenez, pela leveza do enunciado.
— Professor Eduardo Tasha Rios (Santa Cruz do Rio Pardo-SP)

Alguns pensamentos
Tanto gosto de ler como gosto de escrever. Faço anotações de pensamentos alhures e algures para usar quando preciso ajudar alguém ou me ajudar. É sempre bom ter uma palavra amiga cheia de conhecimento da vida. Aqui vão alguns que li e gostei. Gostei e guardei.
“Dinheiro perdido, nada perdido. Saúde perdida, muito perdido. Caráter perdido, tudo perdido.” Este é um provérbio chinês…
“Feche os olhos e sinta a paz. — Não se julgue inútil demais”.
“Como a abelha precisa da flor, o ser humano precisa de paz e amor.”
“Os nazistas tomaram a suástica dos hindus, os cristãos adotaram a cruz dos egípcios”. (D. Brown).”
“A lei da mente é implacável. O que você pensa, o que você sente, você atrai. O que você acredita, se torna realidade”. (Buda)
“Fênix de duas cabeças é um ícone místico maçônico”. “Porco chauvinista”, como chamamos os homens egoístas, vem do francês Nicholas Chauvin: male chauvinist pig.
“A Fé leva à intimidade com Jesus na oração”.
Espero que gostem de ler alguma coisa que possa elevar nossas almas e nossos conhecimentos.
Se Deus quiser, estarei aqui na próxima semana.
— Anna Maria Rocha (Santa Cruz do Rio Pardo-SP)

Sobre a familia que
perdeu tudo no fogo

Sr. Diretor:
Queremos dar a nossa opinião a respeito da matéria “Dor, revolta e solidariedade”, publicada nesse jornal em sua última edição.
Em relação aos envolvidos — vizinhos, população, empresários —, a atitude foi muito boa, pois possibilitou, através de doações, que a família pudesse reconstruir a casa.
Porém, a atitude do fiscal da prefeitura foi muito ruim. Ele proibiu a construção da casa no local e não deu uma outra solução para o caso.
A prefeitura de Santa Cruz do Rio Pardo deveria ajudar, permitindo a construção da casa inacabada ou doando uma área para que a família pudesse construir uma nova moradia, ou então abrigá-los em algum lugar.
O vizinho que arriscou sua própria vida para salvar sua moradia e a família, acabou se machucando e teve que se afastar do trabalho, ficando também prejudicado em sua vida, além das perdas em sua residência.
Quanto às instalações elétricas, estas devem ser muito bem feitas com cuidado, principalmente em casas de madeira, como era a casa do Alex, para evitar novas tragédias.
Nós também ficamos muito chocados de pensar em uma família com as crianças assustadas, magoadas e tristes, sem moradia, sem suas roupas, sem seus brinquedos, sem o pagamento do pai….
Afinal, também somos crianças e não gostaríamos de passar por essa situação.
— Alunos do 4º ano ‘A’ da EMEF Prof. “Miguel Arnaldo Tosta” – Professora Paula Renata Moretti (Bernardino de Campos-SP)

Uma nova estrela
O céu sempre fascinou a humanidade e, hoje, vivemos uma época de descobertas incríveis com os telescópios espaciais e os novos localizados em terra. E até astrônomos brasileiros estão a descobrir um exoplaneta. O feito é de sete brasileiros da Universidade Estadual de Ponta Grossa, Universidade de São Paulo, Observatório Nacional do Rio de Janeiro e da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. O planeta descoberto está localizado na constelação do Unicórnio e distante cerca de 1.200 anos-luz da Terra.
O planeta é do tamanho de Saturno, mas com metade da massa dele. É um corpo gasoso como Júpiter. O planeta orbita muito próximo de sua estrela que é similar ao nosso Sol. A distância entre eles é de um quinto da distância entre Mercúrio e o Sol, o que o torna muito quente. Estimaram a temperatura do planeta em torno de 1.100° C.
O planeta foi descoberto usando a técnica do trânsito planetário que mede variações no brilho da estrela conforme o planeta passa na frente. Os dados foram coletados pelo telescópio espacial CoRoT, que é um projeto entre a Agência Espacial Francesa, Agência Espacial Europeia e instituições brasileiras. Para confirmar a existência do planeta, foi utilizada a técnica de espectroscopia, usando um dos melhores instrumentos para esse propósito, chamado HARPS (High Accuracy Radial velocity Planet Searcher), localizado no telescópio do ESO (European Southern Observatory), no Chile.
Também foi divulgada a primeira imagem de uma estrela, a Antares, e com detalhes surpreendentes e feita a partir de telescópio baseado em terra, o telescópio VLT (Very Large Telescope) do ESO, localizado no Chile. Antares é a Alfa-Scorpius, ou seja, a estrela mais brilhante da Constelação do Escorpião, uma supergigante vermelha, quase sempre visível, localizando-se na eclíptica, na curva imaginária entre o leste e o oeste.
Os astrônomos criaram também o primeiro mapa da atmosfera da estrela, revelando turbulência inesperada na enorme atmosfera extensa de Antares, que é uma estrela supergigante vermelha relativamente fria nos estágios finais da sua vida, a caminho de se tornar uma supernova.
A estrela Antares tem atualmente uma massa de 12 vezes a massa do Sol e um diâmetro cerca de 700 vezes maior do que o do Sol. Acredita-se que começou a sua vida com uma massa de mais de 15 massas solares.
E a descoberta mais surpreendente foi feita por cientistas da Universidade Calvin, do Observatório Apache e da Universidade de Wyoming. Observaram em um sistema binário (duas estrelas orbitando um centro de massa comum), chamado KIC 9832227, que o período orbital do par está diminuindo, ou seja, estão se aproximando e vão se chocar. O sistema está sendo observado desde 2013.
A fusão estelar deve acontecer entre 2021 e 2023 e deverá mudar o céu noturno por várias semanas, tornando-se uma das estrelas mais brilhantes no céu, mais precisamente na Constelação do Cisne (Cygnus), visto no Hemisfério Norte. Essa constelação também é chamada de Cruzeiro do Norte. Esta constelação possui 50 estrelas visíveis a olho nu, sendo que a estrela 61 Cygni foi primeira a ter sua distância medida, em 1838, ou seja, está a 11 anos-luz de nós.
— Mario Eugenio Saturno (São José dos Campos-SP)

Crianças e amor
O nascimento de uma criança é a renovação da esperança. É a vida que se perpetua. E não há dúvida de que as crianças têm hoje mais oportunidades e mais condições de realizar seus sonhos do que tiveram as gerações passadas. Mas, se as oportunidades se multiplicam, também aumentam os desafios que acompanham cada nascimento. Neste mundo globalizado, aumentou enormemente a responsabilidade dos pais. Já não basta dar a vida, criar, alimentar e educar, como fizeram muitos pais no passado. Hoje, a realidade é outra e os pais precisam se adequar aos novos tempos. Novos caminhos surgem a cada dia.
Muito antes de formarem seu senso crítico e de estarem preparadas para fazer escolhas, as crianças são bombardeadas por um mar de mensagens dispersas, mimos, modismos e novos aparelhos — num ambiente quase sempre tempestuoso, que as torna irritadiças e permanentemente insatisfeitas. Não há diversidade de brinquedos, roupas, alimentos, celulares e jogos eletrônicos que consiga satisfazê-las. Os pequenos estão influenciando o consumo das famílias e substituindo as brincadeiras de rua pelo computador e a TV, com consequências perigosas para sua saúde e formação.
É com esse permanente ‘quero mais’ que os pais têm de lidar, exigindo muita conversa, orientação e bons exemplos. Os ‘nãos’ têm de dar lugar à construção de uma amizade e a um diálogo transparente e franco em relação ao que cada lado considerar certo ou errado, como o controle ou não do acesso à internet e às redes sociais. Muitos acham que a criança não tem maturidade para estar na internet. Outros ponderam que não adianta proibir algo que lhes é facilitado pelo celular que carregam. A saída possível é orientar, construir e acompanhar.
O escritor japonês Ryuho Okawa, autor do best seller “Think BIG – O poder para criar o seu futuro”, sinaliza a importância de se trabalhar o futuro da criança: “Se você deseja construir um futuro, precisa alimentar grandes sonhos em seu coração. Seus pensamentos determinam sua vida. Mas seus pensamentos precisam ser mais do que meras intenções. Cuide para que os pensamentos negativos não criem raízes. Tenha pensamentos afirmativos e positivos. Cuidado com as ideias que você planta em sua mente. Elas irão determinar o tom geral da sua vida.”
Uma dose redobrada de amor e compreensão se faz necessária por parte dos pais. Ryuho Okawa afirma que “o amor parece agir como uma forma de nutrição para a criança pequena. Quando o desejo de ser amada não é satisfeito, a criança reage, tornando-se provocadora e causando problemas aos outros”. Em palestra realizada no Japão, Okawa enfatizou que “a causa fundamental dos problemas da vida encontra-se na família, na infância, e muita gente chega à maturidade sem os ter superado. O modo de pensar e viver do indivíduo na infância é o ponto de partida, por isso tem um significado importantíssimo. Mas acontece que a família ideal, sem nenhum tipo de problema, simplesmente não existe. Toda família apresenta pontos positivos e negativos, toda família tem um ou outro tipo de problema”.
Diante desse desafio dos tempos modernos, é fundamental proporcionar uma boa formação humana e espiritual às crianças. Que por meio do amor, do diálogo, da compreensão e busca de ajuda, se necessária, cada um descubra o melhor caminho para cumprir sua missão.
— Kie Kume (São Paulo-SP)


“Foto do Leitor”

web foto arcolezi 1905

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Santa Casa nos anos 1960

— Imagem do acervo do servidor público aposentado Edilson Arcolezi Ramos de Castro mostra a antiga avenida Silva Jardim (atual Doutor Cyro de Mello Camarinha) na década de 1960, na quadra em frente à Santa Casa de Misericórdia de Santa Cruz do Rio Pardo. 

Sobre Sergio Fleury 1671 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate