Rui Barbosa resgatado

A escultura ficou décadas num pedestal da antiga praça Rui Barbosa
DEVOLUÇÃO — “Toko” Degaspari, o prefeito Otacílio e o diretor do jornal, na entrega da escultura desaparecida
DEVOLUÇÃO — “Toko” Degaspari, o prefeito Otacílio e o diretor do jornal, na entrega da escultura desaparecida

A escultura da antiga praça Rui Barbosa — atual Major Antônio Aloe — voltou finalmente para o patrimônio do município. Ela estava desaparecida desde que a praça mudou de nome, em 1975, quando foi retirada para dar lugar a um busto do major santa-cruzense. A entrega da peça histórica foi feita na última quarta-feira, 7, no gabinete do prefeito Otacílio Assis (PSB), com a presença do diretor do DEBATE, Sérgio Fleury Moraes, e do despachante Sebastião Arcângelo Degaspari.
A escultura tem a assinatura de Gildo Zampol, um conhecido artista que possui monumentos espalhados por diversas cidades, inclusive memoriais nos principais cemitérios da capital e na Faculdade de Medicina da USP. Há poucos dados biográficos de Zampol, mas sabe-se que ele morou em Taboão da Serra.
Nos depósitos da Codesan, foi encontrada uma placa da antiga praça Rui Barbosa enaltecendo o centenário de nascimento do jurista brasileiro, comemorado em 1949, mas não há confirmação de que a escultura tenha sido feita naquele ano.
O fato é que em 1975, na gestão de Joaquim Severino Martins, a praça mudou de nome e a escultura foi retirada. Um decreto do então prefeito diz que Rui Barbosa passava a ser o nome da praça da igreja do bairro de São José. Mais tarde, porém, em 1980, aquele logradouro ganhou o nome de “Domingos Gabriel” e Rui Barbosa simplesmente desapareceu da lista de homenagens oficiais em Santa Cruz. A escultura, por sinal, também sumiu.

No cemitério da Consolação, em São Paulo, há vários monumentos que levam a assinatura do escultor Gildo Zampol
No cemitério da Consolação, em São Paulo, há vários monumentos que levam a assinatura do escultor Gildo Zampol

Recuperação

Há um ano, o despachante Sebastião Arcângelo Degaspari, o “Toko”, localizou a escultura com um antigo funcionário da prefeitura. Ele explicou que “ganhou” a peça de outro funcionário, sob a justificativa de que a escultura fatalmente iria para o lixo.
O homem, que preferiu não se identificar, cedeu a escultura para uma reportagem do jornal. No entanto, o texto chamou a atenção da administração e o secretário Edwin Brondi de Carvalho remeteu ofício ao DEBATE solicitando informações sobre o paradeiro da escultura. Segundo ele, mesmo que não conste no cadastro patrimonial do município, a peça histórica é de propriedade da prefeitura.
Degaspari, então, negociou com o ex-servidor público a devolução da peça, que pesa quase quatro quilos e foi feita de bronze. A escultura finalmente chegou às mãos do prefeito Otacílio Assis na semana passada.
Provavelmente a escultura será levada para o Museu Municipal “Ernesto Bertoldi” e ficará exposta para visitação pública. O objeto poderá ser “chumbado” na parede, como ficava na antiga praça Rui Barbosa. O pedestal que hoje ostenta o busto do Major Antônio Aloe ainda tem as marcas do círculo da escultura, desenhadas pelos anos.
Segundo o historiador Celso Prado, a denominação de Rui Barbosa ao logradouro de Santa Cruz do Rio Pardo foi dada em 1909, quando o jurista brasileiro ainda era vivo — ele morreu em 1923.

Sobre Sergio Fleury 5910 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate