Santa-cruzense Plinio Rigon expõe na Itália

Exposição do artista santa-cruzense na Itália vai até 7 de junho

Ele divide o espaço com mais um artista

No currículo do artista há livros, inclusive traduzidos para outras línguas

André H. Fleury Moraes
Da Reportagem Local

O artista plástico santa-cruzense Plinio Rigon, que vive na Itália há seis anos, está participando de uma exposição em Milão entre os dias 21 de maio e 7 de junho. Com ele, também expõe seus trabalhos o padre Giuseppe Paparone. No caso de Plinio, ele explora a técnica de tinta acrílica sobre tela.
Segundo o próprio informativo da exposição, as obras do santa-cruzense são “uma explosão de pura felicidade, que se espalha com um ritmo leve e luminoso”.
De descendência italiana, Plinio é formado pela Escola de Comunicação e Artes (ECA) da USP. Também graduou-se na Faculdade Belas Artes, em São Paulo. Também na capital paulista, deu aulas como professor de teatro.
É vencedor de inúmeros prêmios e já expôs nacional e internacionalmente, em países como Alemanha, França e Itália, país onde atualmente reside.
Mas o talento do santa-cruzense sobressai às telas. Ele também é dramaturgo e possui diversos livros publicados. Um deles, aliás, chegou a ser traduzido para o italiano. É a obra “Uma Cachorra Chamada Estrela”. Na verdade, Plínio é o primeiro autor santa-cruzense a ter obras traduzidas para outras línguas.

  • Publicado na edição impressa de 19/05/2019
Sobre Sergio Fleury 4973 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate