Artigo: ‘Pense positivo’

Pense positivo

Nayara Moreno
Da equipe de colaboradores

Todo mundo se impressiona quando vê um idoso mais com de 90 anos, às vezes, mais de 100, com uma saúde invejável, feliz, andando bem, comendo bem. Algumas coisas podem explicar essas boas condições clínica e física. Essa pessoa se cuidou quando jovem e no início da velhice, tem boa alimentação, boa hidratação, faz exercícios físicos, importa-se com cuidados preventivos, toma remédios nos horários e dosagens certas. Enfim, um idoso centenário pode fazer tudo isso ou só algumas coisas. Mas, com certeza, um aspecto une todo esse pessoal: o pensamento positivo.
A ciência começa a se render aos poucos e até já iniciou estudos que devem mostrar (ou até provar) que pessoas que pensam positivo vivem mais e, o mais importante, melhor. Uma simples atitude otimista em relação a algum desejo pode ativar uma série de reações nervosas em seu cérebro. O estresse, ao contrário, é prejudicial neste sentido, pois libera um nível alto de hormônios secretados, que atrapalha na memória.
Não se trata de propagar aqui uma ideia de que todos devem viver sorrindo ou em uma utopia. A vida é difícil, cheia de obstáculos, decepções e problemas para todos, ainda mais para os idosos. Pensar otimista não significa fugir da realidade e nem ignorar derrotas e frustrações. Quem pensa positivo também fica triste, com raiva e desanimado.
A diferença entre o positivo e o negativo acontece neste momento. O mau-humorado não conseguirá sair de uma situação ruim, vai se entregar e, a partir do acontecimento, vai traçar um caminho de perspectivas tenebrosas. Já quem adota o pensamento positivo terá uma postura ativa e de enfrentamento dos problemas. É exatamente isso: pensar positivo não significa viver em um mundo de fantasias, e sim ter inteligência emocional para traçar estratégias para enfrentar o problema. Por mais contraditório que possa parecer, o otimista tem os problemas sempre por perto, pois os enfrenta. O pessimista fica longe das confusões, porque não tem coragem de encará-las.
Pensar positivo faz bem para a saúde. Por mais que a ciência ainda não tenha muitos estudos que comprovem isso, eu, na condição de enfermeira, já presenciei muitos casos, como Responsável Técnica da AleNeto Enfermagem e, antes, como enfermeira-chefe de ala na Santa Casa de São Paulo, de pacientes que propagavam energia boa e conseguiram sair de problemas sérios. Por outro lado, já vi casos simples de idosos com pensamento negativo que evoluíram para o óbito.
Idoso, seja positivo. Você é dono de seu corpo e de sua mente. Olhe ao redor, veja a família que você formou, as coisas que conquistou. Chegar à velhice é uma vitória. Você merece pensar em coisas boas.

Nayara Moreno
é enfermeira
pós-graduada
e Responsável
Técnica pela
AleNeto Enfermagem 

 

 

 

  • Publicado na edição impressa de 11/08/2019
Sobre Sergio Fleury 4577 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate