Pela quinta vez, casal vai promover café da manhã às crianças carentes

FRATERNIDADE — Casal diz que levar alegria a crianças “não tem preço”

Casal se reúne com amigos para
distribuir doces às crianças carentes

André H. Fleury Moraes
Da Reportagem Local

O casal Mariana Ferreira de Carvalho Casemiro, 33, e Anderson Eduardo Casemiro, 38, estão juntos há 13 anos. Os dois têm filhos, mas o Dia das Crianças não é só reservado a eles. O 12 de outubro de 2019 será o quinto ano em que eles promovem o ‘Café da Manhã do Bola’, uma confraternização totalmente reservada aos pequenos que pertencem a famílias carentes de Santa Cruz do Rio Pardo. A fila é grande. A oferta, também.
Tudo começou em 2014, quando eles perceberam que poderiam fazer algo maior. “É uma corrente, um ajudando o outro”, diz Anderson. Naquele ano, eles conseguiram 800 pães, alguns bolos, sucos e leite. O evento evoluiu e, no ano passado, já foram 4 mil pães.
A doação geralmente vem dos próprios moradores de Santa Cruz do Rio Pardo. O casal publica nas redes sociais os pedidos de auxílio. “As pessoas se comovem e ajudam muito”, disse Mariana. “Mas de empresas, mesmo, quase não temos. Começou neste ano, com a Frutap [de Bernardino de Campos], que doará iogurtes para a gente”, prosseguiu.
Geralmente, o que sobra é doado a outras famílias carentes ou instituições sociais. “No ano passado, como sobraram algumas coisas, também fizemos uma macarronada, no final do ano, para as crianças. Foi maravilhoso”, disse Mariana.
Como alguns alimentos são facilmente perecíveis, devem ser entregues em cima da hora. Pães, por exemplo, são adquiridos no dia anterior.
Pela oferta de alimento ser em grande quantidade, também há a doação de dinheiro por parte dos munícipes. “Cada um doa um pouquinho e a gente conversa com as padarias para fazerem um preço acessível. Elas topam, e todos saem ganhando. Principalmente as crianças”, explica Anderson, que, embora desempregado, não mede esforços para levar alegria aos pequenos.
O processo de montagem do café da manhã é trabalhoso. O casal chega a virar noites arrumando tudo — e não necessariamente sozinho. Segundo Mariana, cerca de 30 pessoas se juntam para organizar a confraternização, que acontece na própria residência do casal.
Com início às 9h, a casa fica lotada até a hora do almoço, quando os participantes seguem para um almoço na vila Bom Jardim. Não saem de mãos vazias: todos têm direito a um saquinho de surpresas, que contém doces.
Neste ano, há uma novidade no cardápio. Serão distribuídos churros também. Os interessados em doar alimentos — como pães, salsichas, tomates, bolos e refrigerantes — podem entrar em contato com Mariana, através do telefone (14) 99891-7170.

  • Publicado na edição impressa de 29/09/2019
Sobre Sergio Fleury 5166 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate