O ‘bê-a-bá’ da gravidez

ORIENTAÇÃO — Jenifer (à esquerda) teve complicações no início da gravidez da pequena Heloisa e buscou a “personal gestante” Nayara Moreno

Futuras mães buscam orientações sobre saúde, alimentação
e até compra do enxoval com profissional especializada

Diego Singolani
Da Reportagem Local

Depois do personal stylist, profissional dedicado a cuidar do visual de seus clientes, e do personal organizer, aquele incumbido de pôr fim ao caos da bagunça doméstica, surge uma nova tendência, voltada às mulheres que estão a caminho da maternidade: a personal gestante. A proposta é acompanhar a grávida durante o processo gestacional, oferecendo orientações sobre exercícios físicos, alimentação, pré-natal, montagem de enxoval e tantas outras dúvidas que são comuns neste momento único para a mulher. Em Santa Cruz do Rio Pardo, o serviço já existe e, de acordo com os responsáveis, a demanda só cresce. Uma das explicações seria o fato das famílias estarem encolhendo e, com isso, surge a necessidade de um profissional que assuma o papel antes exercido pelas avós, tias e primas.
A enfermeira Nayara Moreno, responsável técnica de uma empresa de cuidados domiciliares, conta que a ideia de implantar o personal gestante surgiu a partir da necessidade específica de uma cliente. “Nós já oferecíamos o acompanhamento para a mulher nos primeiros meses após o parto e também o serviço de babá. Uma cliente entrou em contato, após ter um início de gravidez complicado, perguntando se poderíamos dar algumas orientações”, disse. A cliente em questão era Jenifer de Oliveira Guerra, 29, moradora no Jardim Planalto. Casada e mãe uma menina de 10 anos, Jenifer teve um princípio de aborto em sua segunda gravidez, a da pequena Heloisa, hoje com 3 meses. “Apesar de não ser mãe de primeira viagem, fiquei assustada e como já conhecia o trabalho da Nayara eu conversei com ela”, explicou. Jenifer contou com o acompanhamento da personal gestante em todas as etapas da sua gestação. “O foco principal do trabalho é proporcionar segurança, conforto e estabilidade para grávida”, diz Nayara.
O contato da personal com a gestante se dá em encontros semanais ou quinzenais, dependendo da necessidade. Além disso, através do WhatsApp, a enfermeira está sempre disponível para sanar dúvidas ou atender emergências. “O atendimento é feito de acordo com o que a mulher precisa. Algumas querem apenas orientação durante a amamentação, outras para a montagem do quarto, outras querem o acompanhamento desde o início, como a Jenifer, tudo isso é personalizado, o que torna o serviço acessível”, disse Nayara. A rotina da personal gestante envolve desde organizar as consultas médicas da grávida, auxiliar na execução das determinações do obstetra, esclarecer dúvidas a respeito das fases da gestação, alimentação, atividades físicas e até na escolha de roupinhas, utensílios e móveis. “Muita coisa que se compra é desnecessária e cara. É importante considerar a praticidade e a segurança, principalmente”, afirmou a enfermeira.

Jenifer, com a filha Heloísa, diz que profissional traz mais segurança

Vínculos

A rotina atribulada da mulher moderna e o fato das famílias serem cada vez menores são apontados como fatores importantes para que a personal gestante tenha se tornado um nicho de mercado. Muitas grávidas já não contam com a “sabedoria popular” das avós, tias e primas, que, antigamente, eram personagens fundamenteis ao compartilhar suas experiências sobre o rito da maternidade. “Hoje a internet tem muita informação, mas sem orientação adequada, pode trazer mais riscos do que ajudar a grávida”, diz Nayara.
Um dos momentos mais impactantes e delicados para a mãe é o da amamentação. De acordo com Nayara, a preparação deve começar ainda na gravidez, levando em conta tanto os aspectos psicológicos como os físicos da mulher. “Algumas não querem amamentar, por diversos motivos. Outras querem, mas não conseguem. Hoje existem aparelhos para preparar o bico do seio da mulher, se for preciso, para que ela consiga alimentar o bebê. Tudo isso é discutido com a grávida para que ela se sinta confiante da sua decisão”, declarou.
O envolvimento do pai durante o processo também é desejável. Nayara conta que alguns são um pouco mais distantes, enquanto outros praticamente engravidam junto com a mulher. “Há casos de homens que até sentem enjoo com a companheira”, revelou. Para os marmanjos, as orientações são principalmente a respeito dos cuidados com a grávida e o momento parto. 

  • Publicado na edição impressa de 06/10/2018 
Sobre Sergio Fleury 5208 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate