Beto Magnani: ‘O café’

HISTÓRIAS DO MAGÚ

O café

Beto Magnani
Da Equipe de Colaboradores

Amanhecia mais um dia de natal. O sol brilhava ainda no horizonte quando vi o Papai Noel tomando um café no bar do Jesus. Não resisti, entrei.

— Trabalhou muito ontem? — perguntou a esposa do Jesus.

— Bastante. Tô bem cansado, mas valeu a pena. E o seu marido?

— Tá dormindo. E pelo visto não vai acordar tão cedo.

— Bebeu demais na ceia?

— Vixi! Encheu a cara de vinho! Todo natal é assim. Fica imprestável. Tá lá! Morto! Se bobear não acorda nem para o ano novo. Só vai ressuscitar na semana santa! — brincou a esposa soltando uma gargalhada.

— Se eu não tivesse que trabalhar acompanharia o seu marido no vinho.

— Pois é, eu admiro o senhor. Trabalhar na véspera de na natal é triste.

— Eu adoro. Carrego o resto do ano cada sorriso dessa noite. Sou grato a todas as famílias que visitei. A criançada fica alvoraçada comigo. Fico feliz de verdade.

— Que bom, porque tem muita gente que fica triste.

— Eu sei. Bate a saudade né? A ausência dos que partiram aumenta. Um dos motivos que prefiro trabalhar é não ficar pensando nisso na hora.

— Vou te confessar que eu não gosto muito do natal por causa disso.

— Tem casa que encontro gente chorando sim. Mas acho que quando eu chego dá uma aliviada. Me sinto útil.

— É. Se sentir fútil é bom.

— Eu falei útil. Não fútil. — corrigiu o Papai Noel com um sorriso.

— Ai desculpe. Eu entendi fútil. Mas acho que é porque ontem, na ceia, o meu marido falou que Papai Noel é fútil. Ou será que ele falou útil e eu entendi fútil? Agora não sei mais.

— Ele deve ter falado fútil mesmo. É a cara dele falar isso! Mas ele tá certo. Na verdade acho que é os dois. Fútil e útil. Tão útil quanto fútil e tão fútil quanto útil. — brincou o velhinho.

— Vixi, agora complicou! Quer mais café?

— Não obrigado, vou descansar um pouco. Tô precisando dormir. Agora só o ano que vem.

— Que isso, acorda antes! Não faz igual o Jesus não!

— Pode deixar, fica tranquila. Passo aqui pra tomar um vinho com o seu marido assim que ele ressuscitar. Sem falta. Feliz natal Dona Madalena! Bom dia pra senhora!

O Papai Noel foi embora. Fiquei feliz em encontra-lo no bar do Jesus. Nunca tinha visto fora do trono, tomando um café como qualquer ser humano. Deu até para acreditar. Pedi um café também. Tomei e fui dormir. Ainda com a ausência aumentada.
(Magú) 

  • Publicado na edição impressa de 22/12/2019
Sobre Sergio Fleury 5331 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate