Artigo: ‘Lista de desejos para 2020′

Lista de desejos para 2020

Nayara Moreno
Da equipe de colaboradores

Vocês, caro leitor e caríssima leitora, provavelmente já fizeram suas listas de desejo 2020 ou estão prestes a finalizá-la. Geralmente essas listas são feitas com muita empolgação no Ano Novo, mas esquecidas antes mesmo de chegar o Carnaval.

Os idosos não são muito fãs deste tipo de prática, porque fazer planos não faz, infelizmente, parte da rotina daqueles que já passaram dos 60 anos. Quem acompanha esta coluna todo domingo sabe que um dos meus objetivos é incentivar o idoso a sonhar, desejar e planejar.

Então, vamos juntos fazer uma lista de desejos para 2020. Veja bem, vamos usar mesmo a palavra desejos, e não metas. Meta remete a algo forçado a se cumprir, custe o que custar. No caso aqui, nós vamos exercitar a busca por uma qualidade de vida melhor para o ano que entra na próxima quarta-feira.

Primeiro item: exercício físico. O que mais um idoso deve almejar para 2020 é movimentar-se. A cada ano que passa a medicina comprova com estudos os inúmeros benefícios que a prática traz aos mais velhos: previne e retarda doenças, ajuda em tratamentos, faz bem ao coração, é fundamental no fortalecimento muscular para evitar quedas, eleva a autoestima. Não tem jeito, o sedentarismo terá de ser deixado de lado.

Segundo item: seguir a prescrição médica e da enfermagem. Já passou da hora de os idosos serem teimosos e não seguirem com disciplina e responsabilidade as medicações indicadas a eles. As famílias devem ajudar no cumprimento deste item e contratar cuidadores para quem têm dificuldade de administrar sozinho tal tarefa.

Terceiro item: tolerância. Esse deve ser um desejo que vem lá do fundo do coração para 2020. A qualidade de vida dos idosos fica sensivelmente comprometida quando a harmonia não se estabelece no ambiente em que vive (e nem dentro de seu próprio coração). O idoso traz consigo uma história repleta de marcas boas e ruins e isso, em alguns momentos, o deixa intolerante e sem paciência para algumas situações cotidianas e familiares. Isso não faz bem e cabe ao idoso um exercício mental enorme para se tornar uma pessoa melhor, principalmente para si mesmo.

E o quarto item… não existe. Paramos em apenas três mesmo. Listas realizáveis são aquelas em que as possibilidades precisam ser razoáveis. Cumprir uma lista de três itens é bem melhor do que fazer uma de 10 e deixar tudo para trás.

Se o idoso levar essa nossa lista a sério, vai chegar ao final do ano que vem muito melhor. Feliz 2020, com muita saúde e sabedoria.

* Nayara Moreno
é enfermeira
pós-graduada
e Responsável
Técnica pela
AleNeto
Enfermagem 

  • Publicado na edição impressa de 29/12/2019.
Sobre Sergio Fleury 5331 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate