Estado nega ceder prédio da antiga delegacia ao município

SEM USO — Prédio do antigo Plantão da Polícia Civil está desocupado há meses

Segundo informações, governo de João
Doria quer instalar Ciretran no imóvel

Sérgio Fleury Moraes
Da Reportagem Local

O prédio da antiga Delegacia de Polícia de Santa Cruz do Rio Pardo, que funcionou como Plantão da Polícia Civil pouco antes de ser desativado, no final de março do ano passado, não será mais cedido ao município. O prefeito já tinha até anunciado planos de instalar no imóvel uma unidade do Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) ou até mesmo a secretaria da Educação — a pasta funciona no andar superior da agência do Banco do Brasil, que pode pedir a sua desocupação a qualquer momento.

Segundo consta, o Estado pode usar o imóvel como sede da Ciretran (atual Detran), que funciona em prédio alugado desde março de 2018. O prédio atual fica na rua Antônio Pereira dos Santos, na Chácara Peixe, e foi reformado pelo proprietário exclusivamente para ser alugado ao Detran.

A sede da Delegacia de Polícia no centro da cidade, na esquina da avenida Cyro de Mello Camarinha, foi inaugurada em 1961 e funcionava conjuntamente com a Cadeia Pública. Três décadas depois, a cadeia foi transferida para o novo prédio, no bairro da Estação, e o imóvel central virou Distrito Policial. Mais tarde, foi extinto como distrito e transformado em plantão noturno da Polícia Civil. No entanto, logo foi definitivamente desativado.

Em março do ano passado, ao elogiar o prefeito Otacílio Parras (PSB) e praticamente inocentá-lo do “caso Sueli Feitosa” antes do fim das investigações, o ex-delegado seccional de Ourinhos, Antônio José Fernandes Vieira, informou que o Plantão da Polícia Civil estava extinto “como decisão administrativa para otimizar o trabalho”. Na ocasião, ele disse que ofereceu o prédio ao prefeito de Santa Cruz e estava negociando a transferência.

Em julho, o prefeito Otacílio fez pronunciamento na rádio Difusora informando que havia conversado com o vice-governador do Estado, Rodrigo Garcia, e acertado a cessão do prédio à prefeitura, para implantar projetos sociais da secretaria de Assistência Social. Otacílio chegou a anunciar que faria reformas no imóvel.

Cessão negada

Há dias, entretanto, questionada pelo jornal sobre eventuais reformas, a administração informou que o Estado negou a cessão do imóvel. Uma nota de duas linhas da secretaria de Comunicação informou que o espaço possivelmente será ocupado pela Ciretran.

O prédio atual da Ciretran, na rua Antônio Pereira dos Santos, pertence ao empresário Manoel Gomes Pito e foi alugado no início de 2018. Ele reformou o imóvel e fez adaptações a pedido do Detran, como dotar o espaço de acessibilidade.

Consultado na semana passada, Manoel disse que não recebeu qualquer informação do Detran sobre desocupração do prédio. Segundo ele, o contrato é por tempo indeterminado, mas há cláusula prevendo uma multa em caso da saída da repartição estadual. 



Prédio histórico está desocupado desde que secretaria da Saúde foi transferida para a antiga maternidade

Antiga Câmara será
usada para o Turismo

Um dos prédios históricos de Santa Cruz do Rio Pardo, a antiga sede da Câmara Municipal, numa das esquinas da praça Leônidas Camarinha, será usado pela administração como sede da secretaria de Turismo e como “Centro de Atenção Turístico”. Além disso, um espaço será cedido à Associação de Artesãos para instalar a “Casa do Artesão”, hoje funcionando em imóvel alugado.

O prédio foi construído em 1910, na gestão de Antônio Evangelista da Silva — o Coronel “Tonico Lista — para ser a sede da Câmara, administração e coletoria municipal. Muitos anos depois, passou a ser sede apenas do Legislativo.

Em 2011, com a inauguração da nova sede da Câmara na avenida Clementino Gonçalves, o prédio voltou para o município. Nos últimos anos, foi usado pela secretaria de Saúde, até que a pasta foi transferida para o prédio da antiga “Maternidade Maria Perpétua Piedade Gonçalves”, na praça São Sebastião. Desde então, está desocupado.

De acordo com a administração, a ideia de implantar um “Centro de Atenção Turístico” no imóvel histórico foi ideia dos próprios secretários. Em nota, a secretaria de Comunicação informou que, enquanto o projeto não é finalizado, a administração está preservando o prédio e evitando a sua deterioração. 

  • Publicado na edição impressa de 23/02/2020
Sobre Sergio Fleury 5535 Artigos
Proprietário e Editor do Jornal Debate