João Ferreira: ‘As urnas não julgam ninguém’

As urnas não julgam ninguém

 

João Ferreira

POLÍTICA    Em meados de março de 2018, o ex-presidente Lula pediu ao Superior Tribunal de Justiça para que pudesse ser julgado pelas urnas. O petista rogava à Corte Superior de Brasília pela sua inocência em relação ao famoso caso do triplex do Guarujá e suplicava para que fosse jugado pelas urnas. O petista também havia pedido o julgamento anteriormente.

Dois anos mais tarde, em 2020, Otacílio Parras Assis, prefeito de Santa Cruz do Rio Pardo, seguiu os passos de seu antigo companheiro de partido e pediu para ser julgado nas urnas, em 2024, antecipando a corrida eleitoral, ao invés de dar respostas sobre o escândalo do lixo na cidade.

Em entrevista perante o famoso microfone amigo, Otacílio também reclamou de uma tal “turma do ataque” (?) e um tal “gabinete do ódio” (?) que supostamente lhe trouxe transtornos. Observação importante: quem tem gabinete é, normalmente, prefeito municipal, e quem tem ódio é toda pessoa que enxovalha jornalista de quem diz ter nojo e asco.

Otacílio também disse que somente responderá à população e que não adiantaria nem perguntar mais. Assim como seu ex-companheiro de PT, o prefeito tergiversou e não esclareceu as dúvidas que pairam sobre os contratos de lixo.

O aforisma “quem cala, consente”, embora de uso comum, não inspira aplicação. Todavia, é de bom tom (administrativo) que a autoridade máxima do Poder Executivo municipal preste contas das compras e serviços governamentais sobre os quais haja suspeitas.

A escapulida radiofônica apenas mostrou que Otacílio, na verdade, não tem respostas satisfatórias para dar. Não é só. Embora tenha destinado um capítulo específico para a “gestão transparente” em sua proposta de governo de 2016, o prefeito resolveu riscar este trecho da sua campanha. Agora, só na Justiça.

Vale lembrar que eleitor não é juiz, as urnas não absolvem ninguém e os tribunais também representam o povo na fração destacada de poder destinada ao exercício da jurisdição. Otacílio dará suas explicações na Justiça. Estará preparado para o veredicto?

Ato falho ou sentiu?

O prefeito Otacílio disse que certas críticas a ele devem ser chutadas para baixo do lixo, porque nem no saco de lixo cabem. É bastante curioso que Otacílio tenha usado este exemplo justamente em um momento de desconfiança em relação aos contratos de lixo da Prefeitura.

  • Publicada na edição impressa de 28 de junho de 2020