Frei Cardoso completa 64 anos de sacerdócio

O frei dominicano Alberto Cardoso, no Santuário Nossa Senhora de Fátima (Foto: André Fleury)

O frei dominicano Alberto Cardoso, 91, completou no sábado, 25, exatos 64 anos de sacerdócio. Na sexta-feira, 24, quem passou em frente ao Santuário Nossa Senhora de Fátima, pôde notar um frei Cardoso alegre. Ele caminhou nas redondezas e também dentro da igreja, lembrando do local onde estudou antes de partir para a Itália.

Cardoso recebeu, no ano passado, o título de comendador de Santa Cruz do Rio Pardo. Apenas outras duas pessoas receberam a honraria: o radialista José Eduardo Catalano e o frei Lourenço Pappin, que esteve à frente das missas no santuário durante mais de uma década.

Nascido Dino Cardoso Furtado no pacato município de Vargem Grande do Sul-SP, o frade dominicano foi ordenado em Bolonha, na Itália, após concluir os estudos na Escola Apostólica Dominicana, em Santa Cruz.

Cardoso chegou a ser missionário em Goiás, inclusive em meio aos índios Carajás e outros sertanejos, mas foi em Santa Cruz que passou a maior parte de sua vida.

Viu de perto e participou da construção da nova Matriz de São Sebastião, nos idos de 1960, embora tenha se posicionado contrariamente à demolição do antigo prédio — que tinha, segundo ele mesmo diz, maravilhosas torres.

Aos 91 anos, ele segue disposto e com uma vitalidade no mínimo impressionante. O segredo, diz, está no fato de que nunca fumou ou bebeu em demasia.

Nota da redação:
Diferentemente do que foi publicado na
edição impressa, Frei Cardoso completa 64
anos de sacerdócio, e não 74.
A reportagem retifica a informação.

 

  • Publicado na edição impressa de 26/07/2020