REGIONAL

Circular gratuita e frentes de trabalho: as apostas de Sergio Guidio

Prefeito de Ipaussu também entrega 200 casas populares e reduz o déficit habitacional

Circular gratuita e frentes de trabalho: as apostas de Sergio Guidio

O prefeito Sergio Guidio (PSDB) durante entrevista em seu gabinete na quarta

Publicado em: 17 de julho de 2021 às 00:54
Atualizado em: 17 de julho de 2021 às 00:54

André Fleury Moraes

Quando se viu reeleito nas urnas no ano passado, em uma das disputas mais acirradas da história de Ipaussu, o prefeito Sergio Guidio (PSDB) sabia que aquilo era apenas parte do que viria pela frente.

A principal tarefa do tucano era clara: resgatar um bom relacionamento com a Câmara, desgastado por disputas políticas que se acirraram sobretudo no ano passado, quando houve as eleições.

Conseguiu — mas não o fez sozinho. A mudança de postura por parte dos vereadores reeleitos em Ipaussu também ajudou o governo a alavancar projetos que, até então, não tinham saído do papel.

Com um nítido arrefecimento da pandemia, resultado do avanço da vacinação em todo o País, Sergio Galvanin Guidio Filho já consegue reservar algumas horas para planejar o futuro.

Na sexta-feira, 16, o prefeito entregou 200 novas casas populares no município, cujo déficit habitacional será reduzido significativamente.

Enquanto isso, um outro impasse preocupa o governo: conciliar o crescimento municipal com um plano de desenvolvimento. Claro que o projeto se dá a longo prazo e envolve anos.

Para os próximos meses, enfim, o tucano tem outra meta: instalar o transporte urbano de ônibus gratuito em Ipaussu.

Em entrevista ao DEBATE concedida na quarta-feira, 14, Guidio detalha linha por linha sobre aquilo que vem pela frente.

 

*

 

O sr. vai entregar 200 casas populares nesta sexta-feira. O quão importantes elas serão para reduzir o déficit habitacional de Ipaussu? É um número significativo. A gente sabe que existe um déficit, mas estamos trabalhando para reduzi-lo. O loteamento inaugurado é um projeto CDHU e temos outros loteamentos já aprovados que também vão exercer papel importante nesse desafio. Um deles tem 260 casas, que já começaram a ser construídas. Vou entregá-las até o final de meu mandato. A cidade evolui e a gente tem que acompanhar isso.

 

Todos percebem uma redução no número de casos e mortes causadas pela Covid-19. Já se vislumbra uma luz no fim do túnel? Sim, o número de internações hoje [quarta-feira, 14] é um terço menor do que o mesmo dia no mês passado. É reflexo da vacinação, claro.

A economia local, bastante afetada pelos fechamentos repentinos, apresentou sinal de melhora. Mas nossa principal preocupação é a Educação. As crianças tiveram, sem dúvida nenhuma, uma perda gigantesca no aprendizado e desenvolvimento. O quanto antes pudermos voltar, melhor.

 

Como o governo tem planejado o pós-pandemia? A primeira questão é o orçamento. Estamos com dinheiro reservado em caixa. Como o calendário de vacina prevê imunização com a primeira dose até no máximo setembro, já estamos planejando o Natal das Luzes.

O evento é importante não só para o comércio local, mas também para as pessoas que contratamos em frentes de trabalho. Além disso, segue em pé o projeto de criar um novo Distrito Industrial e uma incubadora de empresas para dar oportunidades ao pequeno e médio empreendedor.

 

O sr. citou uma série de projetos que, naturalmente, implicam no crescimento urbano de Ipaussu. A cidade estará preparada para este avanço? Com certeza. Já estamos em busca do Plano Diretor de Ipaussu, que deve ser entregue até o ano que vem. Isso estava no nosso plano de governo e vai acontecer.

Também vamos implementar uma circular gratuita para amparar os trabalhadores de toda cidade. Nosso atual distrito industrial, por exemplo, fica do outro lado da estrada — e isso afasta as empresas, já que há risco de acidentes.

Nossa cidade é dividida pela rodovia, e muitas pessoas não vêm para o centro justamente por causa disso. Com uma circular gratuita, vamos unificar o município e facilitar o transporte urbano. O projeto não é caro, e o preço mais alto se dá na aquisição dos ônibus. O plano é, a princípio, implementar a medida até o final do ano.

 

O sr. veio de um primeiro mandato marcado por conflitos com a Câmara, que se acirraram principalmente no ano passado. Mas isso aparenta ter mudado. Como está a relação do governo com os vereadores?  Excelente, sem dúvidas, e isso contribui para a cidade. Agora estamos alinhados com todos os vereadores, que têm acompanhado as obras.

Hoje nós ainda temos um problema sério, o da água, mas que vamos resolver em breve. A questão do saneamento é complicada, exige muito investimento, principalmente com o marco do saneamento básico que foi aprovado recentemente. Nós temos 13 poços na região que estão esvaziando ao longo dos anos, e precisamos estar atentos a isso. Uma hora a conta chega.

PUBLICIDADE

SANTA CRUZ DO RIO PARDO

Previsão do tempo para: Quarta

Períodos nublados
23ºC máx
10ºC min

Durante todo o dia Céu limpo

COMPRA

R$ 5,20

VENDA

R$ 5,20

MÁXIMO

R$ 5,20

MÍNIMO

R$ 5,20

COMPRA

R$ 5,29

VENDA

R$ 5,62

MÁXIMO

R$ 5,46

MÍNIMO

R$ 5,46

COMPRA

R$ 6,17

VENDA

R$ 6,17

MÁXIMO

R$ 6,17

MÍNIMO

R$ 6,17

PUBLICIDADE

voltar ao topo

Voltar ao topo