REGIONAL

Prefeita de Bauru, Suellen Rosim é incluída no cadastro de inadimplentes por dívidas eleitorais

Contas da candidatura de Suellen em 2018 foram rejeitadas, mas prefeita não ressarciu a União

Prefeita de Bauru, Suellen Rosim é incluída no cadastro de inadimplentes por dívidas eleitorais

A prefeita de Bauru Suellen Rosim (Foto: Reprodução / Facebook Suellen Rosim)

Publicado em: 11 de março de 2021 às 21:04
Atualizado em: 30 de março de 2021 às 12:29

André Fleury Moraes

A prefeita de Bauru Suellen Rosim (Patriota) teve seu nome inscrito no Cadastro de Inadimplentes (Cadin) por dívidas na Justiça Eleitoral. O motivo é um débito de quase R$ 32 mil remanescente da eleição de 2018, quando ela concorreu ao cargo de deputada estadual.

Suas contas de campanha da época foram rejeitadas pela Justiça, que determinou a aplicação de multa à atual prefeita. A pendência, porém, não foi paga, e o nome de Rosim foi incluído no sistema nesta quinta-feira, 11. O fato impede Suellen de realizar negócios com a União - ao menos como pessoa física.

Em 28 de janeiro, o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE) já havia determinado o bloqueio e penhora dos bens de Suellen a fim de sanar a dívida.

O desembargador Marcelo Vieira de Campos também pediu à União para que envie os documentos a fim de incluir o nome de Rosim no Serasa. E requereu a declaração do imposto de renda da prefeita dos últimos dois anos.

Dois dias após ter seus bens bloqueados, em 29 de janeiro Suellen pediu o parcelamento do débito em 10 vezes. Como prefeita, ela recebe salário de R$ 18.155,30 mensais.

Ocorre, no entanto, que a União já havia proposto acordo para parcelar a dívida no ano passado. Suellen, porém, não manifestou interesse e passou a ser executada. Ainda não há decisão sobre a nova solicitação da prefeita.

As contas eleitorais de Suellen foram rejeitadas por uma série de irregularidades constatadas pela Justiça.

Segundo parecer técnico, a prefeita omitiu R$ 7 mil gastos com redes sociais na prestação de contas – tudo foi pago com o fundo eleitoral. Além disso, não comprovou despesas com fornecedores de campanha. Somadas, as irregularidades somam mais de R$ 20 mil.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de Suellen, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem.

Ela derrotou o adversário Raul Aparecido Gonçalves (DEM) em disputa de segundo turno no ano passado. Recentemente, se envolveu em polêmicas ao manter o comércio aberto durante a fase vermelha e ser contrária ao isolamento social.

A Câmara de Bauru chegou a aprovar a ‘lei do comércio’, que tornaria o setor um serviço essencial, mas o texto está suspenso pelo Tribunal de Justiça de São Paulo em caráter liminar.

Os leitos de UTI em Bauru seguem lotados e não há previsão de melhora.

Suellen, enquanto isso, vive uma disputa com o governador João Doria (PSDB) ao mesmo tempo em que flerta com o presidente Jair Bolsonaro. Ela esteve em Brasília no mês passado, onde se reuniu com o presidente.

Nas últimas semanas, ela teceu duras críticas ao governo estadual cobrando mais leitos de UTI no município. Doria, por sua vez, chamou Suellen de negacionista e acusou a prefeita de fazer “vassalagem” a Bolsonaro.

PUBLICIDADE

SANTA CRUZ DO RIO PARDO

Previsão do tempo para: Sábado

Céu nublado com aguaceiros e tempestades
27ºC máx
19ºC min

Durante a primeira metade do dia Períodos nublados com aguaceiros e tempestades com tendência na segunda metade do dia para Céu encoberto com chuva moderada

COMPRA

R$ 5,59

VENDA

R$ 5,59

MÁXIMO

R$ 5,68

MÍNIMO

R$ 5,57

COMPRA

R$ 5,55

VENDA

R$ 5,89

MÁXIMO

R$ 5,82

MÍNIMO

R$ 5,72

COMPRA

R$ 6,69

VENDA

R$ 6,70

MÁXIMO

R$ 6,80

MÍNIMO

R$ 6,67

PUBLICIDADE

voltar ao topo

Voltar ao topo